Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

Conchavos suprapartidários contra a Lava-lato. Precisamos reagir!

michel-temer-lula-e-renan-calheiros

É preocupante o movimento suprapartidário que toma corpo no Congresso para frear a Lava-jato. Aliás, nada mais previsível. Há tempos os procuradores e juízes da operação tentam buscar apoio da população em palestras e entrevistas, pois sabiam que este momento chegaria. E chegou. Nos bastidores, PT, PMDB, PSDB, PP e quase todos os demais partidos estão de mãos dadas na aprovação de sete medidas que minam a Lava-jato:

– O projeto de abuso de autoridade;

– O projeto que visa colocar a PF subordinada à PGR;

– O projeto que anistia o crime de caixa 2;

– O projeto que permite acordos de leniência sem a participação do MP e TCU;

– O projeto que proíbe as transmissões de julgamentos na TV Justiça.

– O projeto que desvirtua as 10 medidas contra a corrupção;

– A inclusão de parentes de políticos numa eventual nova rodada de repatriação de recursos não declarados no exterior.

Ou seja, o PMDB tenta repetir os passos do PT. Sim, isso também era previsível, pois ambos foram sócios da corrupção institucionalizada que hoje vem à tona. A senhora que “não sabia de nada” e posava de honesta tratou pessoalmente de propinas com Marcelo Odebrecht. Lula é o “amigo” que recebia milhões em “favores” imobiliários,  milhões via caixa 2, milhões via planilha da Odebrecht e milhões via dinheiro vivo, como revelam as últimas delações. Do lado do PSDB, a campanha de Serra de 2010 também revela milhões não declarados. O pau que dá em Chico dá em Francisco. Se todos pecaram, que todos paguem por seus crimes e de acordo com a gravidade da cada caso. Leia mais

By

Lula e a “Mídia Golpista” (PARTE 1)

Nos últimos meses a Internet tornou-se um grande campo de batalha ideológica entre os defensores incondicionais de Lula e seus os críticos. Na verdade, este é um processo que vem ocorrendo em menor grau desde o escândalo do Mensalão, mas que arrefeceu após as eleições de 2006. Recentemente a batalha recomeçou devido principalmente a cinco graves erros políticos do Governo Lula.

Erro nº 1: o eterno palanque

O presidente, desde que assumiu o governo, nunca desceu do palanque. Em todas as oportunidades que teve de falar em público, procurou sempre se apoderar de todos os méritos pelo bom momento econômico que vive o país, fazendo comparações descontextualizadas em relação ao governo anterior, apesar de não mudar uma vírgula das políticas “neoliberais” herdadas e, paradoxalmente, tão criticadas quando oposição. Leia mais

By

Desabafando

Decidi criar este blog depois de ver hoje o discurso constrangedor do senador Aluísio Mercadante, fazendo um incrível exercício verborrágico para defender e justificar o injustificável: o apoio do PT a Sarney!

Fiquei surpreso comigo mesmo quando, num aparte do senador Agripino Maia, percebi  que torcia por este senador, fazendo minhas suas palavras, quando tentava enquadrar o agora fantoche Mercadante. E pensar que algum dia eu, que já fui militante do PT, que tinha o Mercadente como um exemplo e que tinha náusea quando via qualquer político do PDS/PFL falar, e agora me flagrar torcendo pelo Agripino. Que tristeza! Leia mais