Um breve resumo das delações da Odebrecht

Sobre as delações da Odebrecht:
1) Acaba com a narrativa do PT de que se trata de uma perseguição ao partido. Apesar do PT ser o partido com mais políticos envolvidos, a delação atinge em cheio também o PSDB, o terceiro em políticos citados. O PMDB vem logo em segundo, o que é perfeitamente compreensível, uma vez foi sócio do PT nos 13 anos de poder. Em valores, o PT teria recebido R$ 204,9 milhões, o PMDB, R$ 111,7 e o PSDB R$ 52,2.
 
2) Acaba com a narrativa da “alma mais honesta do mundo”, pois Lula não pediu “cinco centavos” como ele costuma fazer chacota em seus comícios, pediu milhões!
3) Segundo Marcelo Odebrecht, Lula tinha uma conta no setor de propinas da empresa com o saldo de R$ 40 milhões, de onde eram descontadas suas “demandas”.
 
4) Marcelo Odebrecht disse textualmente que as contas correntes de Lula, Antonio Palocci e Guido Mantega foram abastecidas com a propina da MP 470 e da linha de crédito do BNDES. As duas negociatas foram comandadas por Lula.
 
5) Além da conta de Lula existia também a conta da presidência, que passou do governo Lula para Dilma, ambas administradas pelos ministros da Fazenda Pallocci e Mantega, conhecidos pelos pseudônimos “Italiano” e “Pós-italiano”.
 
6) Os depoimentos confirmam as delações de vários antecessores, inclusive o ex-líder do PT, Delcídio, de que, apesar da corrupção ter sido sempre uma prática da empresa com o setor público, foi no governo do PT que a corrupção foi institucionalizada, com percentuais definidos, intermediários e até contas no setor de propinas da empresa.
 
7) Ao contrário do que Lula sempre pregou, ele foi sempre amigo das “zelites”. Segundo Emílio Odebrecht, sua amizade com Lula começou muito antes de chegar à presidência, tendo financiado inclusive suas campanhas derrotadas. Daí o apelido “Amigo” nas planilhas de propinas. Para Marcelo, “o amigo de meu pai”.
 
8) A narrativa de Emílio corrobora também com as afirmações de Tuma Jr. que em seu livro descrevem Lula como um dedo duro que entregou diversos “companheiros” desde a época do período militar.
 
9) O pelego Lula era frequentemente convocado por Emilio Odebrecht para controlar greves na Bahia.
 
10) Quando se tornou presidente da República, Lula cumpriu a promessa de entregar o setor petroquímico para Emílio Odebrecht através da Braskem, que também faz parte do grupo Odebrecht.

Leia mais