Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

Conchavos suprapartidários contra a Lava-lato. Precisamos reagir!

michel-temer-lula-e-renan-calheiros

É preocupante o movimento suprapartidário que toma corpo no Congresso para frear a Lava-jato. Aliás, nada mais previsível. Há tempos os procuradores e juízes da operação tentam buscar apoio da população em palestras e entrevistas, pois sabiam que este momento chegaria. E chegou. Nos bastidores, PT, PMDB, PSDB, PP e quase todos os demais partidos estão de mãos dadas na aprovação de sete medidas que minam a Lava-jato:

– O projeto de abuso de autoridade;

– O projeto que visa colocar a PF subordinada à PGR;

– O projeto que anistia o crime de caixa 2;

– O projeto que permite acordos de leniência sem a participação do MP e TCU;

– O projeto que proíbe as transmissões de julgamentos na TV Justiça.

– O projeto que desvirtua as 10 medidas contra a corrupção;

– A inclusão de parentes de políticos numa eventual nova rodada de repatriação de recursos não declarados no exterior.

Ou seja, o PMDB tenta repetir os passos do PT. Sim, isso também era previsível, pois ambos foram sócios da corrupção institucionalizada que hoje vem à tona. A senhora que “não sabia de nada” e posava de honesta tratou pessoalmente de propinas com Marcelo Odebrecht. Lula é o “amigo” que recebia milhões em “favores” imobiliários,  milhões via caixa 2, milhões via planilha da Odebrecht e milhões via dinheiro vivo, como revelam as últimas delações. Do lado do PSDB, a campanha de Serra de 2010 também revela milhões não declarados. O pau que dá em Chico dá em Francisco. Se todos pecaram, que todos paguem por seus crimes e de acordo com a gravidade da cada caso.

Em qualquer caso, uma nova eleição virá. Seja em 2017, com a possível cassação da chapa Dilma-Temer pelo TSE, ou em 2018, conforme o calendário previsto. O que podemos esperar? Que a Lava-jato cumpra o seu papel e afaste da corrida todos os que têm o rabo preso em alguma tramoia e que isto abra caminho para que novas lideranças surjam e que estas pensem duas, três, mil vezes antes de repetirem os mesmos erros que os seus antecessores.  Sim, isto abre espaço também para populistas de plantão. Mas a experiência do populismo petista também pode servir de aprendizado e dar um freio nesta possibilidade.

É assim que deveria ser a democracia, com o exercício de um dos seus principais pressupostos: a alternância de poder.  Se o PT tivesse sido punido nas urnas quando estourou o mensalão certamente não teria chegado aonde chegou. Quanto mais tempo no poder, mais a corrupção fica enraizada. Quanto mais são “absolvidos pelas urnas”, mais caras de pau e audaciosos vão ficando os políticos. Esta é a lição que deveria ter sido aprendida por todos, mas que, infelizmente, boa parcela da população ainda reluta a aprender.

Fiquemos então atentos as negociatas que estão acontecendo do Congresso, principalmente no Renan Calheiros, hoje a mais astuta raposa com mandato. Entre os sem mandato, Lula continua agindo em duas frentes: 1) tentando colar a narrativa de perseguição política para conseguir algum asilo, já que seus advogados não têm mais argumentos para debater nos autos; 2) atribuindo toda a responsabilidade pela crise econômica à operação Lava-jato, e, claro, empurrando para debaixo do tapete a famigerada “Nova Matriz Econômica”, a contabilidade fraudulenta, a ausência de reformas estruturais, ao aumento dos gastos acima do crescimento da arrecadação, os subsídios aos amigos do rei, as decisões equivocadas de controle de preços administrados e de juros, a miragem do Pré-sal, os bilhões gastos em mega eventos desnecessários e em corrupção, etc. etc.

Enfim, agora mais que nunca temos que apoiar os bravos brasileiros que estão arriscando suas vidas para traçar um divisor de águas na corrupção endêmica do nosso país. Você, cidadão comum, que ainda consegue simpatizar com o PT, reconheça: estava errado quando dizia que a Lava-jato era seletiva. Nós, que fomos às ruas pedir o impeachment de Dilma, temos que estar prontos a voltar às ruas para pedir também a saída de Temer, caso este não se posicione claramente contra os conchavos que estão em curso no Congresso.  Não temos bandidos de estimação!

Posts relacionados:

One Response to Conchavos suprapartidários contra a Lava-lato. Precisamos reagir!

  1. Joao Luiz Pereira Tavares says:

    E aqui… No Brasil…
    Além… Da saúde… A Educação!

    A EDUCAÇÃO, OH!, ¡ZERO! Nota zero! 13 anos de Petismo e enganação! As enganações em blogs aparelhados pela ideologia do Petismo, não-independentes, e de ideologia UNI-DIMENSIONAL…

    E ainda engana muitos, todos os dias…

    Bom…, e abonados por:

    Vá a casa de seus amigos professores da Universidade. Das HUMANAS. Encontre no restaurante seus colegas artistas, músicos moderninhos cancioneiros, amigas atrizinhas de teatro… Marque uma janta… Com os INTELECTUAIZINHOS…

    Você, com grande chance estará diante de in-te-li-gen-tinhos!!
    Eis:
    OS INTELIGENTINHOS do PE-TIS-MO, DA SOCIEDADE CIVIL — estudantes, professores universitários, jornalistas, cineastas, artistas, blogueiros, cantorzinhos tipo Chico BUARQUE etc.

    Nesse JANTAR DE INTELIGENTINHOS faça o seguinte:

    «Chegue num jantar de inteligentinhos e, por exemplo, defenda a LAVA-JATO ou o IMPEACHMENT. Haha. Você vai VER o que vai acontecer com você, né? Vão olhar TORTO pra você achando que, de repente, você é dono de um banco, alguém assim! E não alguém que trabalha duro para sobreviver e, por isso, SEMPRE desconfia de quem não o faz.

    Outros inteligentinhos:
    Além de REQUIÃO:
    Haddad (intelectualizinho unidimensional uspiano);
    Coração Valente;
    João Santana;
    DINO, do Maranhão, PCdoB!
    Ciro Gomes, sem dúdida! Do PDT.