Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

O PT escancara de vez e admite tudo que seus críticos alertavam

Dilma-Lenin-2Há anos colunistas importantes alertam sobre o projeto de poder autoritário do PT. Confesso que durante muito tempo achei que existia muito exagero nisso tudo, pois como tantos outros achava que o PT, no máximo, tinha se transformando em mais um social-democrata com alguns resquícios de ranços ideológicos.

Mas, aos poucos, a realidade foi me convencendo de muita coisa que eu não queria acreditar. Ao ver se repetir no Brasil o que acontecia nos países mais adiantados no bolivarianismo, resolvi então escrever a série “A crônica de uma tragédia anunciada”, onde comecei a enumerar alguns paralelos entre as práticas do PT e a estratégia de Antônio Gramsci para promover a conquista da hegemonia da opinião pública como pré-requisito para a perpetuação no poder, exatamente como tem acontecido na Venezuela.

Foi aí então que me dei conta que, há alguns anos, a situação da Venezuela era semelhante a do Brasil de hoje e a discussão recorrente nas redes sociais era justamente se a Venezuela estava ou não rumando para um regime autoritário.

O fato é que, de lá pra cá, a Venezuela escancarou de vez sua ditadura até então disfarçada, contando com apoio formal do PT que chegou a divulgar uma nota onde endossava todos os delírios de Maduro, inclusive a justificativa para a prisão de adversários políticos.

Por aqui o PT não deixou por menos e continuou sua escalada rumo ao bolivarianismo, chegando ao cúmulo de deixar explícito nas diretrizes para o segundo mandato de Dilma o objetivo descarado de “construir um projeto de socialismo para o Brasil”, além de “estabelecer uma contra-hegemonia ao capitalismo” (ver aqui).

E assim como todos os demais eventos que citamos onde o PT deixou transparecer suas tendências autoritárias (ver aqui), esta afronta ao Estado brasileiro também passou despercebida pela esmagadora maioria da população. Aliás, chamou mais repercussão o projeto dos tais “Conselhos Populares” que visava criar um poder paralelo ao Congresso, amplamente dominados pela CUT, MST, MSTE, UNE e demais tentáculos do PT, também seguindo a experiência dos “coletivos” venezuelanos, que hoje conta até com milícias de civis armados para reprimir os opositores ao regime.

E o que há em comum na maioria das tentativas fracassadas do PT em direção ao bolivarianismo? A reação das nossas instituições que conseguiram, felizmente, barrar dois projetos de controle da imprensa (e já vem um terceiro por aí), uma tentativa de criação de um controle externo ao Judiciário, uma tentativa de castração do poder de investigação do Ministério Público, além, claro, de trazer à tona a primeira tentativa do PT de subjugar um dos três poderes da república, o Mensalão, posto em prática já no primeiro ano de governo do PT.

Mas o PT sempre se supera. Não só criou um esquema de corrupção maior que o Mensalão, como recentemente divulgou seu Caderno de Teses  para “tempos de guerra”, onde não só retoma as bravatas irresponsáveis que teriam sido abdicadas pelo PT na famosa Carta aos Brasileiros, nas eleições de 2002, como também traz novas  e mais descaradas ameaças ao estado democrático de direito.

As teses são tão absurdas que faço questão de publicar exatamente como constam no documento. Vejamos…

“Demitir os ministros capitalistas, romper com os partidos do capital. Constituir um governo apoiado nas organizações populares, na CUT, no MST, entre outras”

Para quem achava que a Guerra Fria havia acabado, eis aí a resposta do PT. Agora imaginem um governo que institucionalize as práticas do MST. Está tudo liberado!

“Enviar ao Congresso Nacional um Orçamento para 2015 que rompa com o pagamento das Dívidas interna e externa”

O governo do PT não pára de fazer dívidas e incentivar o povo a se endividar. Mas eis que, de uma hora para outra, eles resolvem que não só devem dar o calote na dívida externa (que Lula disse que havia quitado, vale lembrar, e que hoje é a 3ª maior do mundo, segundo o FMI), mas também na dívida interna. Sabe aquela grana que o poupador que está levando um pau da inflação e decide aplicar no Tesouro Direto que o próprio governo incentiva? Pois é. Para o PT, os investimentos feitos em títulos do Tesouro devem ser confiscados. Sim, porque a dívida interna é exatamente isso. O governo não tem dinheiro para bancar os gastos que cria e vende títulos do Tesouro para conseguir a grana que financiou a farra do BNDES, por exemplo.

“Estatizar a Rede Globo, que é concessão pública e abri-la para os movimentos sociais”

Maduro deve estar orgulhoso. Foi assim que Chávez começou sua escalada autoritária.

“Cessar imediatamente qualquer perseguição policial, judicial, repressão e criminalização dos movimentos sociais”

Se tiver o selo “social” pode tudo. E aí de quem criticar. Só falta agora criar uma nova corte para definir o que pode ser enquadrado na lista de “perseguições”, assim como a lista negra de jornalistas perseguidores divulgada pelo PT recentemente.

“Implementar uma política de comunicação do campo democrático e popular, iniciando pela construção de uma agência de notícias, articulada a mídias digitais (inclusive rádio e TV web), com ação permanente nas redes sociais, que sirva de retaguarda e de instrumento do campo democrático-popular na batalha de ideias”

Como se não bastasse a TV Brasil, o aparelhamento da Voz do Brasil, a máquina de marketing patrocinada por estatais e a rede de blogs sujos financiada pelo governo para denegrir adversários e promover a “guerra virtual”, confessada pelo próprio secretário da Comunicação Social (ver aqui), o PT acha pouco e pretende expandir ainda mais sua rede de disseminação de mentiras, financiada, claro, com o nosso dinheiro.

“Fim das privatizações dos portos, aeroportos e rodovias! Cancelamento dos leilões de petróleo e do Campo de Libra! Todo petróleo (do poço ao posto) para uma Petrobras 100% estatal”

E na mesma semana em que a presidanta se reúne com seus ministros para definir um novo programa de privatizações, uma vez que foi convencida pela realidade que não tem dinheiro para investir, eis que os lunáticos do PT propõe a estatização de tudo! Isso no momento em que até Cuba se prepara para se abrir para a iniciativa privada. Com esta recomendação cai outra máscara do PT. Quem não se lembra das diferenças entre “privatizações” e “concessões” exaustivamente alardeadas pelo PT para justificar a primeira rodada de privatizações do governo Dilma? Pois é. Agora eles admitem que foram privatizações, sim.

“Exigir publicamente e combater pelo impeachment dos ministros do STF que votaram na farsa da AP 470”

Uma corte quase toda formada por ministros indicados pelo próprio PT (inclusive um ex-advogado do PT) condenou quase todos os réus do Mensalão. Mas eles agora exigem o impeachment dos “traidores” que votaram pela condenação dos corruptos! Sim, o PT já não disfarça mais o discurso cara de pau que antes era restrito aos seus paus mandados dos blogs sujos. Agora é oficial. É a ditadura do proletariado!

“exigimos a liberdade imediata e anulação da sentença dos dirigentes do PT”

Marcos Valério e Cia. nem pensar. Mas a turma do PT deve ser inocentada imediatamente! Acho que Kim Jong-um iria ficar orgulhoso da justiça pregada pelos petistas. Para os nossos tudo. Para os outros, nada.

Enfim, é um conjunto tão grande de absurdos que os dirigentes do PT deveriam, no mínimo, serem convocados pelo Congresso para explicar tais teses uma vez que boa parte delas não são compatíveis com o estado de direito. Aliás, com tantos absurdos, aumenta ainda mais a possibilidade de extinção do partido, já afundado em dívidas e que pode ser condenado a ressarcir os cofres públicos pelo menos R$ 600 milhões.

Claro que muita gente boa vai colocar panos quentes em mais esta coletânea de absurdos do PT, atribuindo-as a ala radical do partido. No entanto, não custa lembrar que é o próprio Lula, o principal responsável pela atual crise ético-político-econômica, quem tem incentivado o partido a rumar nesta direção, não apenas retomando as tais “bandeiras históricas” do PT como vimos acima, como promovendo ainda mais o acirramento político ao convocar o tal exército de Stédille para a guerra das ruas.

Enfim, para quem acompanha os passos do PT tais movimentos não são nenhuma surpresa. Fazem parte sim de uma estratégia de perpetuação no poder para promover um governo autoritário, baseado na conquista da hegemonia da opinião pública, exatamente como pregou Gramsci, um dos principais referenciais teóricos do PT, e que recentemente foi comprovada com o vazamento da fala de um dos seus ministros (ver aqui).

“Nós temos que ter a clareza que o projeto político é o principal. Se o projeto político é o principal, O PRINCIPAL É CUIDAR DO PT”

José Dirceu, condenado no Mensalão e novamente prestes a ser preso no Petrolão, em vídeo gravado em um dos eventos do PT.

Posts relacionados:

6 Responses to O PT escancara de vez e admite tudo que seus críticos alertavam

  1. Filipe LK says:

    Excelente texto! Fico muito preocupado com essa conquista da hegemonia da opinião pública promovida por adeptos ao PT. Sou estudante em uma universidade publica e convivo diariamente (principalmente em disciplinas voltadas para a licenciatura) com essa questão. Respeito a opinião de cada um, porém não há margem para discussão e levantamento de ideias. É justamente o que se vê no vídeo apresentado pelo Felipe Moura. Um exemplo básico, “protestos do dia 15/03 foi um movimento de acéfalos” e ponto final. Não há uma inquietação a respeito do que é lógico e sim ideológico. Vlw…

    • Amilton Aquino says:

      Obrigado, Filipe. O que nos anima é que começa a haver uma reação. Até uns tempos atrás ninguém sabia quem é Mises. Agora já está pelo menos despertando a curiosidade de alguns universitários. Abraço!

  2. Pedro Mundim says:

    Sempre achei divertido ler essas atas do PT e contemplar o abismo que existe entre a prática do PT no poder e o discurso das bases militantes. As hipóteses são duas:

    1) O plano da base militante é o que efetivamente norteia o PT, e a prática da cúpula governista é uma fachada; ou

    2) A base militante não passa de massa de manobra que serve de cabo eleitoral à cúpula governista.

    Podemos discutir se a realidade é (1) ou (2), mas dependendo da evolução dos acontecimentos, (1) pode se tornar (2) ou (2) pode se tornar (1)…

    Entretanto, notei que esse último documento intitulado Um Partido para Tempos de Guerra apresenta pela primeira vez algumas diferenças em relação às bazófias de sempre. Pela primeira vez, é reconhecido que o partido vive uma crise, que existe uma crise política e econômica no Brasil e que é preciso combater a corrupção. Enfim, pela primeira vez o PT acusa o PT. Estaremos presenciando o início da ruptura entre a cúpula governista e a base militante?

    Analisando retroativamente, penso que já houve uma ruptura entre esses “dois PT´s” quando da transição entre Lula e Dilma. Lula sempre foi uma eminência parda, contrastando com os intelectuais militantes e ex-guerrilheiros que fundaram o partido. Pragmático e oportunista, desde o tempo das greves do ABC Lula deixou perceber o desprezo que sentia pelos teóricos marxistas, e nunca teve pudor em servir-se deles para depois descarta-los conforme a necessidade. Quando no poder, Lula teve o cuidado de não romper com a macroeconomia herdada do Plano Real, o que propiciou a estabilidade econômica e os ganhos dos trabalhadores que vieram a constituir o capital político que até agora tem mantido o PT como um vencedor das eleições.

    Já Dilma Rousseff, ex-guerrilheira, sempre foi uma legítima representante do PT original marxista. Ao contrário de Lula, ela rompeu com a macroeconomia herdada dos tucanos e provocou a crise que tem consumido o capital político do PT. Essa situação ilustra em tempo real o dilema que divide o PT:

    1) Para ter sucesso e angariar capital político, o PT precisa abandonar o ideário das bases militantes;

    2) Para implementar o ideário das bases militantes, o PT precisa destruir o capital político que acumulou anteriormente.

    Ora, mas é justamente com esse capital político que o PT contava para implementar o ideário das bases militantes! Se o destrói, dá um tiro no próprio pé. Foi o que aconteceu com Dilma Rousseff. O que só vem a provar, mais uma vez, que é inviável a chegada das esquerdas ao poder pela via democrática. Após a sedução inicial conseguida graças à gastança dos recursos existentes, é preciso usar a força para permanecer no poder com o povo descontente. Foi por isso que Hugo Chávez tratou de montar para si uma militância armada, ao invés de uma militância intelectual como a do PT.

    • Amilton Aquino says:

      Brilhante seu comentário, Pedro. Com este novo passo do PT fico mais propenso a acreditar na fase da ruptura que o Olavo sempre descreveu e eu sempre me mostrei cético em relação ao PT. Preocupante.

  3. Delano says:

    Sim e o povo esta sendo utilizado como massa de manobra !!! Realmente estão sendo manipulados !!!

  4. Ricardo Magalhaes says:

    “Estão sendo manipulados” não, “Estamos sendo manipulados” sim