Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

13 lições sobre o PT confirmadas na entrevista da Marta Suplicy

marta_suplicyJá escrevi vários artigos sobre as canalhices do PT, mas nada como ouvir da boca de uma de suas fundadoras (mais uma a enxergar o óbvio) algumas verdades que o exército de idiotas úteis do partido insiste em negar.

A entrevista não é mais novidade, mas só agora tive um tempinho para escrever. Portanto, para quem ainda não a leu, segue o link do Estadão.

Antes de mais nada, devo esclarecer que o termo “idiota útil” usado aqui não é um xingamento gratuito, e sim o termo usado pela cúpula dos camaradas comunistas do século passado para descrever a militância inocente que abraçava com fervor a ideologia marxista, mas não sabia quase nada sobre as canalhices que aconteciam nos bastidores entre suas lideranças. O século XX terminou, o comunismo ruiu, mas os idiotas úteis continuam mais ativos do que nunca, como veremos a seguir.

Então vamos às lições…

1 – A entrevista confirma tudo o que alguns colunistas falavam sobre os bastidores da campanha, mas que eram sistematicamente negadas pelo partido.

Quando as notícias não lhes interessam, os petistas adoram acusar a imprensa de conspirar, de mentir e fazer tudo para prejudicar o PT. Na prática, o PT sempre usou a imprensa tanto para atacar adversários quanto para se promover. Felizmente o PT ainda não conseguiu controlar toda a imprensa. E a cada novo escândalo repercutido, maior o empenho do partido em aprovar seu antigo projeto de “regulação” da mídia. Não por acaso, a presidente que continua muda e sumida desde as eleições fez uma única aparição recentemente para falar sobre o que? Sobre regulação da mídia.

2 – Dilma é teimosa como uma mula.

Não é de hoje que falamos isso aqui. Agora está dito pelo próprio Lula, segundo Marta: “não adianta falar com ela. Ela não ouve”. E quando um governo erra, quem paga a conta? Pois é. A conta chegou e finalmente a presidente admitiu que os dois próximos anos serão muito difíceis (ver aqui). Mas como é teimosa como uma mula, insiste em jogar a culpa no cenário externo, mesmo que a média de crescimento do seu primeiro governo o Brasil cresça a pouco mais da metade da média mundial e a 1/3 da média dos emergentes e pobres.

3 – Lula e Dilma vivem se estranhando desde que ela chegou ao poder.

Pois é. O primeiro estranhamento entre os dois registrei aqui já no primeiro artigo sobre o governo Dilma (ver aqui). Tal briga chegou a alimentar alguma esperança em muita gente, inclusive em mim, de que ela viesse a romper com Lula, principalmente depois que demitiu sete dos oito ministros indicados pelo padrinho. Mas bastou começarem as movimentações para as eleições municipais de 2012 e lá estavam os dois novamente de mãos dadas, praticando o esporte favorito do PT: demonizar os tucanos. Nas palavras de Lula, “o sucesso dessa mulher é o meu sucesso”, lembram?

E como sempre, o PT tenta capitalizar em tudo, até mesmo nas brigas dos dois. Assim que eles voltaram a pousar de mãos dadas, o braço petista de imprensa tratou de ironizar a outra parte da imprensa que, segundo eles, tentava semear a discórdia entre os dois inutilmente.

4 – Lula queria sim ser o candidato em 2014.

Ele negou várias vezes quando foi indagado sobre o assunto. Mais uma de suas tantas mentiras desmentidas pela realidade.

5 – Lula conspira o tempo todo, inclusive contra Dilma.

Desde os tempos de alcaguete da ditadura militar, conforme relatado no livro “Assassinato de reputações” de Turma Junior, Lula não dá ponto sem nó. Tudo que faz é calculado para, no final, se dar bem. Neste caso (da possível candidatura em 2014) não foram uma ou duas reuniões de cúpula com uma ala qualquer do partido. Foram várias reuniões com os maiores empresários do país, onde Lula, como sempre, se colou no pedestal e fez coro nas críticas à Dilma.

6 – Há muito tempo uma parte do PT admitiu que a economia estava naufragando e que seria necessário recorrer aos liberais.

Desde o final do governo Lula começou a se formar um raro consenso entre os economistas de que o Brasil estava esgotando suas vantagens competitivas e que precisava mudar de rota. A coisa chegou a tal ponto que a revista The Economist chegou a sugerir que Dilma mudasse o ministro Guido Mantega, como se este fosse o único responsável pela equivocada política econômica, esquecendo de citar que a presidente metia o dedo em tudo, principalmente na economia. Mas foi aí que ela bateu o pé e dobrou a aposta, pois viu na crítica da revista uma tentativa de interferência no governo brasileiro. Os idiotas úteis das redes sociais fizeram a festa com mais esta demonstração de “autoafirmação” do Brasil, lembrando os tempos em que FHC se “ajoelhava” diante do FMI. Pois é, agora sabemos pela Marta que a própria presidente já tinha se convencido da necessidade de mudança, mas não mudou por ter medo de fortalecer a campanha do “Volta Lula”. O seja, agiu exatamente como seu padrinho político, colocando seus interesses pessoais acima dos interesses do país.

7 – A ideologia do Lula é ele mesmo.

Ele se considera acima do partido e das ideologias. Se for preciso implementar uma política “neoliberal”, como fez, e, ao mesmo tempo, praticar o populismo característico da esquerda para enganar as classes da base da pirâmide, ele não vai relutar. Portanto, segundo Marta, há muito tempo Lula também já tinha se convencido da necessidade da mudança da equipe econômica. Aliás, a indicação de um liberal para a economia no segundo governo Dilma parece ter sido o único conselho dele aceito por Dilma, que substituiu todos os ministros ligados a ele, a começar pelo seu braço direito, Gilberto Carvalho, homem das grandes conspirações. Vale lembrar também que foi Lula quem indicou o desastrado Guido Mantega já no início do segundo mandato.

8 – Lula não entra em bola dividida. Se não tiver segurança de que vai ganhar, sai fora.

Por que Lula desistiu de se candidatar em 2014? Segundo Marta, porque avaliou que ele e Dilma sairiam perdendo em um confronto. Ela não falou, mas certamente nesta decisão pesou a chance real de derrota, que ficaria muito feio para ele, além, claro, de ter que enfrentar o quadro difícil atual da economia caso eleito e não poder culpar a herança maldita da antecessora. Portanto, dos males o menor. Melhor recolher o time, torcer para que a nova equipe consiga reverter a crise para que ele volte em 2018 em melhores condições. Mais uma vez, Lula pensando primeiro nele.

9 – O “fogo amigo” do PT é a regra, não a exceção.

É uma estratégia canalha de colocar um pé dentro e outro fora do barco, um plano B para sacrificar alguns “companheiros” caso não seja possível salvá-los.  Se der para reverter o quadro desfavorável, eles “fazem as pazes” e pousam de mãos dadas nas próximas eleições. Caso contrário,  jogam como boi de piranha os mais envolvidos no escândalo da hora e reforçam o discursinho manjado de combate à corrupção. O exemplo mais recente dessa estratégia está acontecendo neste momento com José Dirceu (ver aqui).  Aliás, a estratégia já aconteceu com Palloci e com o próprio Dirceu no Mensalão. Agora novamente envolvido no Petrolão, Dirceu, que já ensaiava a recuperação de suas funções no partido fazendo coro com Marta nas críticas à Dilma, novamente foi abandonado por Lula (ver aqui).

10 – A retórica petista está acima das disputas internas.

Aconteça o que acontecer, os digladiadores do PT sempre farão as pazes na hora de enfrentar qualquer um que possa atrapalhar seu projeto de perpetuação no poder. Se não fosse assim, poderiam ter poupado a Marina da sua campanha suja e difamatória. Qual seria o risco do PT em caso de eleição de uma senadora que passou quase toda sua vida no partido e que têm mais convergências do que divergências? A resposta é a perda da estrutura do poder. O partido não sobrevive mais sem os milhares de cargos comissionados, ministérios e estatais.

11 – O PT aliciou os maiores empresários do país.

Ao contrário do discurso para a militância, segundo o qual o PT é o partido dos “trabalhadores” e o PSDB o partido dos empresários, na prática o PT trabalha o tempo todo para aliciar os maiores empresários do país. Não por acaso, o governo gasta mais com o pagamento de juros subsidiados aos grandes empresários do que com o “bolsa família”. Há alguns anos Lula era o principal articulador das grandes empreiteiras no exterior. E não por acaso várias licitações vencidas por construtoras brasileiras no exterior negociadas por Lula estão sendo investigadas por suspeita de corrupção (ver aqui). E depois de tudo isso e do escândalo do Petrolão, Lula ainda tem a cara de pau de criticar publicamente seus amiguinhos empreiteiros (ver aqui). Aliás, ele repete aqui a tática já consagrada desde o Mensalão. Quando a bomba estoura, ele dá uma de que foi enganado, que não sabia de nada, joga a culpa para os seus antigos amigos e passa a fazer pronunciamentos dizendo que o PT precisa se renovar, formar novas lideranças e se reaproximar dos tais movimentos sociais e blá blá blá (ver aqui).

12 – Para os petistas, Lula está acima do bem e do mal.

Marta já disse uma vez que Lula é o deus da política. Portanto, Lula manda e ela obedece. Isto explica o porquê dela engolir calada tantos sapos, inclusive o maior de todos, quando Lula lhe confidenciou, já sabendo que ela tinha pretensões de se candidatar à presidência, que a sua sucessora seria uma mulher, mas não ela. Infelizmente não apenas Marta trata Lula como deus no PT. Milhões de brasileiros estão de olhos vendados para os constantes casos de corrupção que envolvem o partido e sua administração.

13 – O projeto de poder do PT é a grande prioridade, inclusive sobre os interesses do país.

Assim como seu partido, Marta também age em causa própria. Ela quer dar voos mais altos, mas se sente tolhida pelo partido. Isto explica o porquê dessa súbita sinceridade.

Enfim, a atual crise do PT não é a primeira nem a última. E a julgar pelas anteriores quem acha que o PT vai desintegrar está muito enganado. Basta uma eleição municipal para que eles fumem o cachimbo da paz, promovam mais uma seção de demonização dos tucanos e entrem novamente fortes na disputa.

Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre os métodos petistas de manipular seus seguidores, sugiro dois artigos anteriores:

Posts relacionados:

8 Responses to 13 lições sobre o PT confirmadas na entrevista da Marta Suplicy

  1. Vânia Luz says:

    Amilton, esses petistas todos a falar mal de Dilmais, não é mais uma armação para a volta do cabeça em 2018, muito estranho todos começar a critica-la agora…

    • Amilton Aquino says:

      Sim, Vânia, é pura estratégia. Se ela conseguir recuperar popularidade até as eleições, eles fazem as pazes. Caso contrário, jogam-na como boi de piranha e pousam de oposição. Foi assim que Lula se salvou do mensalão.

  2. Leitor says:

    Ótimo post, como sempre!
    Esses dias encontrei um amigo que votou na Dilma e perguntei “e aí, já se arrependeu?” e ele disse “cara, não dá pra dizer ainda…”
    Aparentemente os eleitores são tão teimosos e não enxergam os próprios erros quanto a própria.

  3. Selton says:

    Você é doente? Que coisa, só mete o pau no PT. Já não basta a grande mídia? Porque não utiliza seu talento, deixa de lado, pelo menos um pouco, sua parcialidade e não faz um bom artigo sobre o conteúdo e as amostragens do site http://www.manchetometro.com.br/ . Queria muito que tivesse essa dignidade.

    • Amilton Aquino says:

      Mais uma lição sobre o PT, agora sobre sua militância. Eles sempre vão bater no carteiro para desfocar o conteúdo da carta. Acontece que tudo que relatei acima não tem nada a ver com a imprensa. Tudo foi dito pela boca de uma petista que enxergou o óbvio. Aliás, vc já percebeu que os maiores escândalos do PT vieram à tona sempre pela boca de aliados? Ou seja, a administração do PT é tão cheia de canalhices que consegue enojar até mesmo seus aliados. Portanto, amigo, não sou eu o doente aqui. Se boa parte dos petistas está criticando o próprio governo, por que eu, que já fui petista e já estou vacinado quanto as suas canalhices, deveria elogiar? Sobre esta porcaria do manchetômetro, é claro que a Dilma vai apanhar mais que os demais candidatos, afinal é ela quem é a presidente e é ela quem está fazendo um dos piores governos da nossa história. Vc queria o que? Que a imprensa batesse mais na Marina ou no Aécio? E olhe lá viu, pois poderia listar um monte de coisas do governo do PT que não aparece na grande mídia. Por que será? Será que tem a ver com uma tal verba publicitária que foi usada recentemente para tirar a Rachel Sheherazade do ar?

  4. Filipe says:

    Caros, com os atuais aumentos da gasolina e energia, muito além do que eu esperava, creio que teremos uma salto inflacionário. O Levy não deixará que piore muito, creio, mas o estrago já está feito. Acho que, com sorte, teremos 2 anos com inflação alta e crescimento zero. Com sorte!

    • Amilton Aquino says:

      Sim, Filipe. O estrago já está feito. E mesmo com todas as medidas de arrocho anunciadas até agora, a conta ainda assim não fecha. Ou seja, antes de melhorar ainda vai piorar bastante. A dúvida é como a Dilma e o PT vai se comportar. Daí o nervosismo do mercado.