Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

Comparação Lula x FHC (corrupção)

Não costumo escrever artigos específicos sobre casos de corrupção, pois não tenho o menor saco para ficar discutindo “quem roubou mais”, nem para me colocar na defesa de qualquer acusado. Não boto a mão no fogo por ninguém, pois tenho a percepção clara de que a política atrai corruptos e tende a corromper quem não tem convicções firmes, principalmente depois de muito tempo no poder.

Apesar da minha relutância ao tema, é impossível ficar indiferente à enxurrada de escândalos que surgem nos jornais a cada dia. Pior que isso é perceber que estes não mais provocam indignação como antes, a ponto de um escândalo como o do Petrolão, por exemplo, que até o que se sabe movimentou um volume de recursos 33 vezes maior que o Mensalão, não render uma única reportagem nas três edições da revista eletrônica semanal “Fantástico” da Rede Globo, desde que a revista Veja trouxe mais este escândalo à tona, há três semanas.

Ué? Mas não é a Globo que vive sendo acusada pelo PT de querer derrubá-lo? Como deixaram então passar esta oportunidade? A resposta para esta aparente contradição você encontra em um outro post do nosso blog (ver aqui).

Feitas estas divagações, vamos então ao tema deste artigo.  Observe os gráficos abaixo:

rede_escandalos_fhc_lula

Eles representam os escândalos de corrupção nos oito anos do governo FHC e nos oito anos do governo Lula. A visualização está comprometida, mas no site da revista Veja é possível visualizar em detalhes, com links, evolvidos, conexões e tudo o mais (ver aqui).

A Rede de Escândalos da Veja é bem mais abrangente que os governos Lula e FHC. Começa a partir do governo Sarney até os dias atuais. Não publiquei os demais governos porque os períodos Sarney, Collor/Itamar e Dilma são menores que os oito anos de FHC e Lula, o que pode prejudicar a comparação visual. E como a polarização política entre PSDB e PT sempre esteve mais centrada em seus maiores ícones, resolvemos então mostrar aqui apenas os gráficos dos dois períodos cuja duração é igual.

E antes que algum petista apareça aqui para desqualificar o minucioso trabalho da Veja, vamos esclarecer quatro pontos importantes:

  • A revista Veja não foi subserviente ao governo FHC como a Carta Capital, por exemplo, é em relação ao governo do PT. Muito pelo contrário, a Veja denunciou cada escândalo da era FHC e ainda foi responsável por criar um dos mais recorrentes slogans de campanha do PT hoje, ao aplicar o rótulo de “engavetador geral da república” ao procurador da época por não dar a devida importância aos casos divulgados pela imprensa. Isto não significa, no entanto, que o presidente FHC tenha qualquer tipo de responsabilidade em qualquer boicote a investigações, afinal é uma prerrogativa do Procuradoria Geral da República, assim como da Polícia Federal e de qualquer outra instituição do Estado com poderes de investigação. O que a experiência do PT no governo nos mostra é que, apesar de todos os esforços de partidários do governo em esconder informações, estas sempre vazam, pois, por mais “competente” que seja o partido do poder em aparelhar o Estado, ele nunca conseguirá 100% de adesão da instituição que deseja subjugar. Sempre vai haver um descontente que vai abrir o bico e deixar vazar informações para a imprensa (desde que esta seja livre, claro), como tem acontecido recorrentemente nos governos do PT. E não por acaso, o PT tem tentando aprovar uma legislação para controlar a imprensa (ver aqui)
  • A revista Veja, como todos os demais grandes veículos de imprensa do país, também ajudou a criar o mito Lula. Os petistas convenientemente não lembram, mas a Revista Veja chegou a publicar matérias de capa como “Lula na estrada”, “Lula light”, “O PT rosa” que tentavam mostrar um PT mais maduro, menos radical e cada vez mais “pronto para assumir o poder”. E mesmo depois que o PT assumiu o poder a Veja continuou publicando capas simpáticas, como, por exemplo, “Triunfo histórico” e “Lula de mel”. A Veja só começou a mudar de postura em relação ao PT quando começaram a aparecer os primeiros sinais de corrupção, notadamente na CPI dos Correios que levou ao Mensalão. As críticas da revista ao PT só ficaram mais ácidas a partir do momento em que Lula, com sua cara de pau sem limites, tentou colar a versão de que o Mensalão nunca existiu e que tudo não passou de uma “conspiração” da imprensa para derrubá-lo. E aí, convenhamos, não existe imparcialidade do mundo que resista a um grau de cinismo tão elevado.
  • Ambos os gráficos incluem também casos de corrupção da oposição. Na era Lula, por exemplo, está contabilizado o chamado Mensalão mineiro, enquanto que na era FHC está contabilizado o caso Celso Daniel, para mim o mais grave caso de corrupção da nossa história, não apenas por financiar a campanha que levou o PT ao poder em 2003, mas principalmente por deixar um saldo de oito mortes, entre os quais dois prefeitos do PT (ver aqui).
  • Ainda que a Veja hoje tenha uma posição mais claramente engajada contra o governo (e tem motivos de sobra para isso, já que o PT tem se empenhado em desqualificar a imprensa) ainda assim a revista não inventa casos de corrupção. Os casos relatados podem ser encontrados também em outras fontes. No máximo pode dar mais destaque a um caso a outro, mas nem isso influi nos gráficos mostrados acima.

Esclarecidos estes pontos, vamos então ao principal “argumento” do PT para justificar os cada vez mais recorrentes e incontestáveis casos de corrupção. Diz o marketing petista que a corrupção não aumentou na era PT e sim as investigações, uma vez que, segundo o discurso oficial, o PT não procura “engavetar” investigações como teria feito o governo do PSDB.

Para começar, é preciso deixar bem claro que investigar é uma prerrogativa de algumas instituições do Estado que independem da vontade do governo, como o juiz Sérgio Moro tem provado até aqui. Da mesma forma que existem simpatizantes do governo em cada instituição com a prerrogativa de investigação, existem também simpatizantes da oposição, de modo que fica muito difícil para uma das correntes vetar alguma investigação. No máximo, pode haver alguma pressão política para deixar vazar informações como forma de retaliação, como, aliás, ficou claro no caso do superfaturamento dos trens de São Paulo e agora no caso do Petrolão.

Além do mais, os próprios policiais federais têm desmentido o discurso oportunista do governo que tenta capitalizar também os méritos da PF. Uma pesquisa feita com os próprios policiais e divulgada no site da Federação Nacional das Polícias Federais revela que 90% dos policiais afirmam que existe sim tentativa de interferência política nas investigações (ver aqui).

Para finalizar, vale uma ressalva de que, desde o final do período militar, há sim uma clara tendência de aumento de casos de corrupção. O governo Dilma proporcionalmente tem mais casos de corrupção que o governo Lula, que, por sua vez, têm muito mais casos de corrupção que FHC, que têm mais casos de corrupção que Collor-Itamar, que têm mais casos de corrupção que Sarney, que certamente tem muito mais casos que o período militar.

Não vou entrar aqui no mérito das razões de tal aumento de casos de corrupção, até porque isso exigiria um estudo sociológico muito aprofundado, mas certamente no hall de motivos, além da evolução tecnológica que ajuda a desbaratar quadrilhas, figura o “toma lá dá cá” institucionalizado a partir do governo Lula, além da inclusão de uma ainda mais perversa forma de corrupção: a corrupção que é justificada para assegurar um projeto de poder de um partido que tem como ideologia o gramcismo, que não admite a alternância de poder, vale lembrar. Não por acaso, o PT foi o único partido até então que ousou transformar seus corruptos em heróis. E a justificativa é justamente esta: rouba para o partido que supostamente governa para os pobres. Daí a tolerância da sociedade aos escândalos cada dia mais vultuosos, o que, por sua vez, anima os corruptos a mergulharem cada vez mais na lama.

Como contraponto a esta comparação, circula nas hostes petistas um ranking de partidos feito em 2011 com base do Ficha Limpa que mostra o PSDB como o “mais corrupto do Brasil”. Não vou contestar completamente tal ranking, pois acho que todo levantamento estatístico deve ser levando em consideração e, de fato, o PSDB pisou na bola sim ao permitir que tais candidatos a prefeito entrassem no partido. No entanto, cabe ressaltar que tal ranking foi feito com base na campanha de prefeitos. No ranking nacional de congressistas divulgado neste ano, PT e PSB dividem o primeiro lugar com 20 fichas sujas cada. O PSDB aparece em 10º lugar com oito fichas sujas (ver aqui).

Enfim, deixo mais esta contribuição para sua reflexão na hora do voto. Mesmo que você ainda assim não esteja convencido de que o PT piorou nossa política, lembro-lhe de que um dos mais importantes preceitos da democracia é a alternância do poder. Além de ajudar a desbaratar quadrilhas incrustradas na máquina pública, a alternância do poder é uma forma do eleitor punir os corruptos do momento, mesmo que isso signifique dar uma nova chance a eventuais antigos corruptos que foram punidos em eleições passadas. Ao reeleger os corruptos da hora, além de lhes absolverem nas urnas (como Lula já se gabou de que que foi inocentado), você ainda está lhe mandando o seguinte recado: continue, pois eu estou gostando.

Não por acaso o slogan do nosso blog é uma frase de Eça de Queiroz que diz “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo”. Faça sua parte. Seja um eleitor de verdade e não simplesmente um torcedor apaixonado por uma agremiação qualquer.

Posts relacionados:

33 Responses to Comparação Lula x FHC (corrupção)

  1. Hugo says:

    Ótimo artigo Amilton!

    É interessante ver que alguns casos de corrupção do governo FHC que tiveram grande repercussão foi ou alguma conspiração do PT ou o próprio PT estava envolvido…

    • Amilton Aquino says:

      Exatamente, Hugo. Escrevi este post um pouco apressado, pois estou de saída. Mas convém lembrar que o PT tem um histórico de dossiês forjados. Vou escrever depois um artigo comparando as posturas de FHC e Lula onde poderei explicitar mais estas diferenças. Abraço!

  2. Fabiano says:

    Amilton, eu tenho uma dúvida a respeito de algumas referências que você usa e nao tenho opinião formada sobre isso, mas ouço muitas e muitas pessoas questionando a imparcialidade da Veja, dizendo que, com isso, usá-la como fonte nao é algo válido para defender um ponto. Gostaria que me dissesse o que pensa a respeito e por que discorda desse ponto de vista… Muito obrigado e parabéns pelos textos, descobri eles só agora e estou lamentando nao ter encontrado isso antes!

  3. Pedro Mundim says:

    Denunciar a corrupção não adianta porque, no momento atual, o PT está apoiado naquela fatia do eleitorado que historicamente não se importa com a corrupção, e sempre reelege os políticos cassados. São aqueles eleitores que não têm renda suficiente para pagar impostos diretos, então não se sentem pessoalmente lesados ao saber que o político roubou, já que não saiu do bolso deles. Esse banco de eleitores já pertenceu no passado aos antigos coronéis, mas agora pertence ao PT. A impressão de que esses escândalos “não provocam a indignação de antes” vem de confundir a totalidade do povo com aqueles indivíduos de nosso círculo: esses se escandalizam, mas aqueles não, desde que tenham comida na mesa. No tempo de Collor era diferente, pois o país estava em crise profunda. Eu penso que o povão mesmo só vai se tocar com a corrupção quando começar a doer no bolso. Afinal, há duas maneiras de aprender: pelo discernimento, ou levando na cabeça. O sábio aprende com a experiência alheia, mas o ignorante só aprende com a experiência própria.

    E para começar a doer no bolso, não vai demorar: parece-me evidente que o saco de benesses do PT já foi esvaziado, e a coisa pode começar a estourar antes até do início do novo mandato. A vitória do PT nessa eleição pode ser uma vitória de Pirro.

    • Amilton Aquino says:

      Verdade, Pedro. Mas não devemos esperar por isso, pois as consequencias são nefastas e imprevisíveis. Os venezuelanos estiveram muito próximos de derrubar Chavez nas urnas e, mesmo com graves denúncias de corrupção, resolveram deixar barato porque apostavam nesta teoria. E olha no que deu.

  4. Edson Gonçalves says:

    Amilton, li a sua excelente matéria sobre a Argentina enviada por um amigo o que me levou até o seu Blog. Me identifico bastante com a sua curta biografia no “quem sou” pois vivi passagens e posturas semelhantes. Quando lembro que já votei no Lula e no Genoíno tenho vontade de pular do Grand Canyon, como estava errado…
    Só discordo de você quando argumente que o PT banalizou a corrupção pois pessoas honestas nunca ficarão indiferentes a este mar de lama, Isto só está acontecendo porque a grande massa dos brasileiros é sem vergonha e desonesta. Se tivessem a oportunidade de roubar para ficar rico, sabendo que não seriam pegos, o fariam sem o menor dos arrependimentos.

    Hoje trabalho intensamente aos 56 anos de vida, 33 de engenheiro, empresário, inventor …para poder ir embora para um lugar melhor com minha mulher e família pequena, pois esta terra de ninguém já deu o que tinha que dar !!!!

    Um grande abraço e parabéns pela lucidez.

    • Amilton Aquino says:

      Obrigado, Edson. De fato, nosso povo tem uma tolerância histórica com a corrupção. Mas continuo achando que o PT piorou este quadro. Gostaria muito de mudar de país também, mas, infelizmente, não tenho muitas perspectivas, pelo menos nos próximos anos. Abraço e boa sorte!

  5. Renan says:

    Amilton, sou um grande admirador dos seus textos. Você tem muita clareza para explicar as coisas e o mais importante é que sempre está muito embasado o que lhe dá muita credibilidade.

    Fico nesse mesmo dilema que o teu, será que é melhor o Aécio ganhar agora ou deixar a bomba estourar no colo do PT?! Vou fazer minha parte e votar no Aécio, mas acho que se a Dilma ganhar tb não vou achar ruim.

    Uma coisa tem me preocupado, publicaram uma matéria dos 27 motivos para não votar no Aécio. Confesso que até eu me assustei um pouco, mas indo verificar os fatos consegui evidências que mostram que existem mentiras escandalosas e que, infelizmente, as pessoas não se dão ao trabalho de averiguar. Isso tem se espalhado como pólvora nas redes sociais e uma mentira contada várias vezes acaba se tornando verdade.
    Se não viu a matéria, este é o link http://plantaobrasil.com.br/news.asp?nID=82071

    O que fazer numa situação dessas??

    • Amilton Aquino says:

      Pois é, Renan. O Aécio vai ter que ser muito competente neste segundo turno para fazer frente a enxurrada de boatos, deturpações e mentiras, como já pudemos ver na desconstrução de Marina. Pessoalmente não gosto de escrever artigos sobre estes temas, principalmente fazer papel de advogado do diabo. Não coloco a mão no fogo por ninguém. Se voto no Aécio é por ele estar mais alinhado ao livre mercado e por significar a alternância do poder, essencial para a democracia. A nossa postura deve ser esta. Sem paixões. A democracia é a arte do possível e, diante de todos os desmandos do PT no poder, o mínimo que podemos fazer é lhe dar um cartão vermelho nas urnas e dar a chance para quem já foi castigado três vezes nas urnas. Além do mais, quanto mais tempo um partido fica no poder, mais enraizada fica a corrupção. Este é mais um argumento forte para justificar a saída do PT do poder, mesmo que o PSDB estivesse equiparado ao PT em corrupção, coisa que não é. Abraço!

  6. Jorge says:

    este link revisa a lista com os motivos.
    http://mercadopopular.org/2014/10/revisando-os-27-motivos-para-nao-votar-em-aecio-neves/

    se realmente é verdade não sei, temos que investigar.

    Abraço!

    • Amilton Aquino says:

      Sim, Jorge. Como disse, não boto a mão no fogo por ninguém. Já tinha visto este artigo e posso te assegurar que boa parte é mentira. Não tive tempo ainda para investigar os casos que não conheço, mas algumas respostas já estão disponíveis no site http://aeciodeverdade.com

  7. toti cunha says:

    Amilton gostei muito do jeito que você escreve, estou muito satisfeita, a partir de agora vou seguir.
    O que vc tem a dizer deste link?
    http://democraciapolitica.blogspot.com.br/2014/10/o-brasil-do-psdb-de-aecio-2002-ao-pt.html
    Obrigada pela atenção Aécio 45!!!

    • Amilton Aquino says:

      Olá Toti, obrigado pelos elogios. Volte sempre. Já vi várias comparações descontextualizadas como esta . Uma coisa é dizer que a inflação na época de Armínio Fraga era maior que a média de Dilma, por exemplo. Outra coisa totalmente diferente é dizer que a média da inflação do Brasil na época do Armínio como ministro era a metade da média da América Latina e que o nosso PIB crescia o dobro da região. No governo Dilma acontece justamente o contrário. Ou seja, não se pode comparar em termos absolutos dois governos separados por contextos tão diferentes.

  8. Humberto Araujo says:

    Amilton, parabéns pelo texto… Descobri o blog e a matéria por acaso, sou estudante de ciências econômicas e existe uma ´´bipolaridade“ partidária em minha sala de aula. Seu texto só comprova oque eu percebi (e alguns colegas se recusam a admitir) que infelizmente a corrupção em nosso país vem aumentando a cada mandato. Sem falarmos, que o PT levou a corrupção para um novo patamar, seja em amplitude ou mesmo de valores desviados. Confesso que já votei no PT no passado, por acreditar que seria um partido que faria a diferença nas causas sociais, sou inclusive a favor do programa Bolsa Família, acho que o valor repassado é de grande importância as camadas mais carentes de nossa sociedade, mas, sou totalmente contra seu uso politico para fidelizar os votos. Mais uma vez, parabéns pelo ótimo texto, ganhou mais um leitor fiel.

    • Amilton Aquino says:

      Seja bem vindo, Humberto. Por favor, ajude a divulgar. Não ganho nada com o blog, dedico apenas um tempo a ele por uma questão de cidadania, pois não aguento ver tanta mentira sendo repetida a todo momento. Abraço!

  9. Curioso says:

    Uma coisa é apontar uma série de corrupções que ocorreram durante um período de anos, que poderia coincidir com o momento em que um partido esteve com a Presidência da República. Outra coisa é ligar devidamente cada esquema de corrupção com os seus respectivos partidos, independentemente se esteve ou não a frente do Executivo Federal. Nesse caso, meu amigo blogueiro, PSDB sai na frente, pois muitos dos seus esquemas de corrupção ocorreram tanto no Governo FHC, quanto no Governo Lula.

    • Amilton Aquino says:

      Curioso, cite aqui todos os casos de corrupção da época de lula envolvendo o PSDB que aconteceram na época de Lula e vamos então descontar (apagar) do gráfico acima. Te garanto que ainda assim os casos do governo Lula ainda serão o dobro. Mas a questão aqui não é apenas numérica. A questão essencial é que a corrupção ficou institucionalizada. Temos, no mínimo, três gravíssimos casos de corrupção envolvendo a cúpula do PT (Caso Celso Daniel, Mensalão e Petrolão). Mais que enriquecimento ilícito, tais esquemas tiveram como objetivo a conquista e a manutenção do poder a qualquer custo. Este é um outro patamar de corrupção. FHC desafiou o PT a provar qualquer caso de corrupção envolvendo seu nome. Será que Lula tem moral para fazer o mesmo desafio?

  10. Stefânia says:

    Excelente texto!!! Parabéns!

  11. ANTÔNIO SOARES says:

    Será que a alternância de poder será tão invocada pelas pessoas que hoje a defendem, se o PSDB ganhar e ficar também 12 anos no poder?

  12. Thiago says:

    kkkkkk – RIDICULA reportagem…. O PT deu autonomia a POLICIA FEDERAL, prerrogativa do presidente, quantas delas foram investigadas pelo PSDB?

    • Amilton Aquino says:

      Foi mesmo? Então mostra aqui o decreto presidencial que trata disso. Não existe, amiguinho. Esta mentira deslavada foi inclusive contesta recentemente por Joaquim Barbosa, que se mostrou surpreso com o total desconhecimento (e eu acrescentaria irresponsabilidade) da presidente Dilma em afirmar esta babosiera no debate. Tanto é que sua assessoria teve que divulgar uma nota dizendo que a presidente foi mal interpretada. http://oglobo.globo.com/brasil/campanha-de-dilma-diz-que-pf-nao-precisa-de-autorizacao-para-investigar-14087077 Quanto as investigações dos escândalos da era FHC todos eles foram sim investigados e alguns deram sim em cadeia, como do juiz Lalau, por exemplo. E mesmo se não tivessem sido, o PT poderia solicitar a reabertura dos casos.

    • Paulo Henrique says:

      Ridícula é essa sua afirmação ” O PT deu autonomia a POLICIA FEDERAL, prerrogativa do presidente”. Quem deu autonomia a PF foi a Constituição Federal de 1988 em seu art. 144. Não acredito que ainda existe gente que cai nessa mentira petista. Sabe Amilton, estava com saudade de ver esses petistas ignorantes entrarem em seu blog só pra levar fumus. Quanto ao mais, adoro ajudar a mostrar a verdade, pode contar comigo. Abraços.

  13. Gostaria de saber sua posição sobre o PSDB reeleito no estado de Sao Paulo.

    • Amilton Aquino says:

      Olha, uma alternância em SP também seria bem vinda. A impressão que tenho é que os paulistas reelegem tucanos como uma forma de marcar posição contra a hegemonia do PT nacionalmente.

  14. Jonas says:

    Fui ao site e me dei conta realmente que no Governo Sarney tinham poucos casos de corrupção, em seguida o Collor com um pouco mais, em seguida FHC com bem mais e agora o PT com mais ainda. Será que na sua cabeça não passou a idéia de se tratar de avanço da tecnologia da informação? Ou você pensa realmente que o sarney e collor foram mais honestos que FHC?

    • Amilton Aquino says:

      Olha, vou ser paciente com vc e vou desconsiderar seu desaforo no primeiro comentário. Deixo passar este segundo porque ele serve de exemplo para que outros como vc não não venham aqui falar a mesma bobagem. Se vc leu o texto deveria ter percebido que faço referência sim a este aumento, embora ela seja uma parte da explicação, mas não toda a explicação. Veja que o número de casos de corrupção de FHC para Lula mais que triplica, uma proporção muito superior a passagem de Color/Itamar para FHC que “apenas” dobrou (quando ponderamos a média por período de quatro anos, já que o governo FHC teve oito). Vale salientar ainda que o maior impacto da informática neste processo deve ter ocorrido na transição do governo Collor/Itamar para FHC, pois foi a partir de 1995, com o lançamento do Windows 95 e a popularização da Internet que aconteceram as maiores transformações nesta área. Portanto, se tem uma época que deveria mostrar um impacto maior decorrente da informatização, esta época é justamente neste primeiro momento, quando os computadores e a Internet viraram uma verdadeira febre em todo o mundo. Por fim, este caso serve para mostrar, mais uma vez, o duplo padrão moral do PT. Quando é para comparar números da economia, o contexto não vale. Já o contrário… Dois pesos, duas medidas. Mas não me meça por sua régua. Eu não soneguei esta informação. Acho inclusive que, de um modo geral, desde a democratização, passamos por uma crise moral bem maior que tem se acentuado com este ambiente esquerdizante que procura cada vez mais ser simpático a bandidos ao mesmo tempo em que hostiliza a polícia. Eis mais um fator que pode ser contabilizado neste aumento da corrupção.

  15. André says:

    Peço apenas que leia: http://brasildebate.com.br/a-corrupcao-move-o-seu-voto/
    O que você pensa sobre isso?

    • Amilton Aquino says:

      André, primeiro vamos levar em consideração que a evolução da informática ficou mais fácil investigar. Aliás, isso também explica um pouco do aumento da corrupção de governo a governo, como citei no post. Segundo, que os crimes se multiplicaram também via Internet. Pouca gente sabe (já que os bancos não divulgam), mas todos os dias ocorrem casos de fraude nos bancos. A maior parte dos casos relatados nestes números da PF, portanto, tem muito a ver com fraudes via Internet e/ou “pequenas” fraudes no INSS, Correios e demais órgãos da administração pública nos três níveis. Perceba que a maioria dessas operações nem sequer são noticiadas, pois são casos inexpressivos, muitos ligados a prefeituras. Quando as operações envolvem peixes grandes ligados à política, aí sim os casos ganham repercussão nacional. E é justamente aqui que a porca torce o rabo. Embora o PT diga que quer investigar, na prática faz tudo para atrapalhar qualquer investigação na máquina pública e nas estatais envolvendo seus parlamentares e/o aliados. Não por acaso, uma pesquisa feita com os policiais federais revelou que 90% deles já relaram interferência política nas investigações.

  16. André says:

    O que você pensa do “ranking da corrupção” (na verdade de cassações de políticos) de 2000 a 2009 (sei que é defasado, mas não tem mais novo) que foi feito pelo movimento (MCCE) que pressionou o Congresso a aprovar a lei da Ficha Limpa. Não vou entrar na discussão da validade ou não de usar a Veja com referência, eu acho que a questão é discutível. Ao menos não me incomoda que tu não desconsidera os escândalos envolvendo o PSDB e o próprio Aécio. Enfim, o que pensa? obrigado!

    • Amilton Aquino says:

      André, primeiro vamos partir do pressuposto de que partidos com um linha ideológica bem definida tendem a ter menos casos de corrupção. Quem entra na política por acreditar numa ideologia, tende a ser mais honesto. O problema é que o poder corrompe, inclusive os partidos mais ideológicos. Embora o espectro ideológico seja tradicionalmente baseado entre os polos esquerda x direita, na verdade a direita é composta de todo o resto que não se enquadra na esquerda. Do lado da direita, existem os conservadores e os liberais. No Brasil, no entanto, não existe nenhum partido de direita realmente ideológico, nem liberal (está surgindo aí o partido Novo, este sim, um partido liberal de verdade) nem conservador, nos moldes europeus. O que existe são siglas que não se enquadram na esquerda. São de “direita” por exclusão. Portanto, o que quero dizer com isso é que a maior parte dos oportunistas que desejam fazer carreira na política e “se dar bem” escolhem partidos não ideológicos ou que ofereçam melhor estrutura. No caso do PSDB, o partido até que tem um perfil ideológico bem definido (social-democrata), no entanto, por ser um dos maiores partidos do Brasil e ser o partido que mais tem chance de derrotar o PT, acaba também por receber uma parcela de oportunistas. Até porque quanto maior o partido, mais difícil manter a qualidade. No caso dos partidos de esquerda, de fato eles apresentam um índice de corrupção menor no início e aumentam bastante os casos depois que chegam ao poder. Quando isso ocorre, a corrupção é ainda mais grave, pois além da corrupção tradicional do esperto que quer apenas enriquecer, a corrupção esquerdista normalmente é partilhada pela partido, como acontece hoje com o PT. Para eles, é uma corrupção justificada porque se trata de uma estratégia de manutenção da estrutura do poder. O último ranking divulgado prova isso, pois embora neste ranking do MCCE o PT apareça na faixa intermediaria, no último rankging do Ficha Limpa ele aparece no topo. E este é o que considero mais importante, pois se refere aos parlamentares do Congresso, os parlamentares mais identificados de fato com o perfil ideológico do partido. No caso do ranking do MCCE existe a contaminação de muitos prefeitos e vereadores, o nível da administração mais próxima do eleitor e também mais viciada pela política de troca de favores, predominantemente dominada por políticos não ideológicos. Abraço e obrigado por sua contribuição.