Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

A mentira vencerá?

medoAmigos, este post é mais um desabafo, pois realmente estou muito desanimado com a disputa presidencial e, por extensão, com os rumos do nosso país. Como havia previsto no meu último artigo, o escândalo do Petrolão não tirou nem um ponto da Dilma. Pelo contrário, ela até subiu nas pesquisas. Como explicar?

A primeira razão é óbvia: o povão está vacinado quanto à escândalos de corrupção. O PT os tornou tão corriqueiros que já não causam mais espanto, nem chamam mais a atenção.

A segunda também não é nenhuma novidade. Quem acompanhou por todo este tempo a desconstrução de FHC e demais adversários do PT não poderia esperar outra coisa, mesmo a atual adversária tendo vindo do próprio partido. Este fato só mostra a sordidez do PT. Se estiver com o partido, qualquer crime é justificado, até mesmo de figuras repulsivas como Maluf. Se estiver contra, qualquer um será triturado, inclusive ex-petistas ilustres como a Marina, que até bem pouco tempo era considerada uma das “reservas morais” do partido!  Pois é. Como o mundo dá voltas. A Marina hoje paga o preço de se calar quando o seu antigo partido fazia o mesmo com o PSDB. Será que ela sente remorsos?

Sim. Acho que isso ajuda a explicar o porquê de suas lágrimas, ao lamentar que nunca imaginou que o PT um dia viria tentar destruí-la.  E eis que Lula mais uma vez sai do seu silêncio conveniente em relação ao Petrolão para ironiza-la, dizendo que tais lágrimas são de crocodilo. Ele, mais uma vez, esquece de suas lágrimas quando estourou o escândalo do Mensalão, jogando toda a culpa nos “companheiros”, quando na verdade hoje todo mundo sabe que ele sabia sim de tudo, não só em relação aquele escândalo, como também em relação ao Petrolão, como a Revista Isto É desta semana comprova , mostrando os elos que ligam os casos e mais um indício de que Lula era chantageado por Janene, uma vez que este sabia demais. E este cara tem o topete de falar de lágrima de crocodilo?

Com tanta cara de pau, ainda temos que escutar este cara aos berros em comícios sustentando as mentiras veiculadas pela campanha do PT e acusando Marina do que ele é. Pior, tem o topete de reclamar do ódio dos seus “adversários” estão implantando neste país!!!

Puta que o pariu!!!! Perdoem-me meus leitores. Vocês não estão acostumados a ler palavrões por aqui. Mas, como não odiar este cara? O cara praticamente foi conduzido por FHC ao Planalto, passa todos estes anos desconstruindo seu antecessor, dividindo o país entre seus apoiadores incondicionais e seus “adversários”, mente desvairadamente, corrompe, justifica a corrupção dos aliados, reincide no crime e ainda tem o topete de vir falar da “campanha do ódio dos adversários”? A cara de pau desse sujeito não tem limites? Será que não tem nenhum peso na consciência?

Certamente não. Psicopatas não sentem remoço. Mas o mais detestável de tudo isso é ver tanta gente “bem informada” defendendo-o com unhas e dentes. Sintam-se responsáveis por este clima de guerra que está sendo instalado no Brasil. Quando começarem a surgirem movimento separatistas e a barbárie que já acontece na Venezuela chegar por aqui, lembrem-se que vocês estão sendo cúmplices de tudo isso.

A terceira razão da subida de Dilma nas pesquisas é a saraivada de mentiras do PT, embalada pelo clima de terror que o partido se ressentia de ter sido vitima na campanha de 2002 e que agora aplica aos seus adversários na maior cara de pau. E aqui cabe uma distinção clara entre os dois casos. Na peça publicitária do PSDB onde a atriz Regina Duarte falava que tinha medo de que o país perdesse a estabilidade com a eleição do Lula não tinha nenhuma mentira. Toda a fala da atriz tinha respaldo no histórico de posições desvairadas do PT quando oposição.  Tanto faziam sentido que o mercado financeiro, formado de pessoas com uma percepção política e econômica acima da média, entrou em pânico. Todos os indicadores da economia foram afetados pela hoje chamada Crise Lula, motivo pelo qual o então candidato teve que divulgar a famosa Carta aos Brasileiros, afirmando o compromisso de manter a política econômica herdada de FHC e abdicando de suas sandices de oposição.

No caso atual a coisa vai muito mais além da estratégia do medo. A campanha do PT junta terrorismo injustificado com mentiras descaradas. Dizer que a comida vai desaparecer da mesa dos brasileiros caso o BC tenha autonomia é coisa de canalha. Da mesma forma, inventar um número fantástico de R$ 1,2 trilhão e dizer que a Marina vai subtraí-lo da educação caso seja eleita é outra canalhice que deveria levar os autores de tal peça publicitária a responder criminalmente por calúnia e difamação.

A Marina até pediu direito de resposta à Justiça Eleitoral, mas sem sucesso. Surpresa? Nenhuma. A mesma Marina já tinha tido outra decepção ainda maior com o TRE quando 350 mil assinaturas para a criação do seu partido foram escandalosamente indeferidas, ao mesmo tempo em que dois outros partidecos foram criados da noite para o dia sem nenhuma mobilização nem repercussão nas redes sociais ou na imprensa. Estranho, não?

Pois é. No Brasil do PT tais coisas estranhas estão se tornando cada dia mais corriqueiras. O mais desesperador disso tudo é que as pessoas não percebem este processo gradativo.  Ontem mesmo, conversando sobre as mentiras do PT, um colega petista tentou justificá-las com a singela pergunta: e quem não mente? Ou seja, entra em ação o já conhecido relativismo moral da esquerda que, quando conveniente, coloca em pé de igualdade um beliscão e um homicídio.

Enfim, estou de saco cheio de tudo isso. Não acredito mais numa reação do Aécio. A Marina que até então dava sinais positivos de amadurecimento em relação ao tripé econômico, de repente aparece com a proposta mirabolante de construir mais quatro milhões de moradias e implementar o tal Passe Livre! A Dilma, embora tenha acenado que pretende substituir o Mantega, ele mesmo afirma que ela vai continuar com a fracassada política econômica atual, o que fatalmente vai nos levar a uma grave crise. Além, claro, de continuar a escalada bolivariana que a cada dia fica mais escancarada.

Apesar das promessas de mais assistencialismo, não tenho dúvidas de que tirar o PT do poder é a prioridade. Embora o PSB faça parte do Foro de São Paulo, não acredito que tal partido tenha as mesmas pretensões hegemônicas e autoritárias do PT. Além do mais, depois desse tiroteio em que a Marina tem sido submetida nestes últimos dias, acho muito mais provável que ela se aproxime do PSDB para governar do que do PT.

Claro que aí teremos o fantasma do Lula a rondar com sua já anunciada volta em 2018. Mas até lá, quem sabe mais pessoas sejam conscientizadas de quão prejudicial ele foi para a nossa economia e política e, quem sabe, seja derrotado.

Enfim, a Venezuela passou por esta situação de quase derrotar o chavismo por três vezes e não conseguiu. A cada nova derrota a expectativa da oposição era de que Chávez iria ser corroído pelas próprias políticas expansionistas que levariam o país uma grave crise. O fato é que a crise veio, mas o chavismo já estava tão enraizado no Estado e nas cabeças dos seus defensores incondicionais que ainda assim Maduro foi eleito para dar continuidade a obra desastrosa de seu mentor e amigo de Lula e do PT.

Portanto, amigos, é bom ter em mente que as eleições atuais estão sendo fraudadas pela mentira e pelo voto de cabresto dos programas sociais. Quem assume a máquina tem muito mais chance de vitória, como está definitivamente demostrado com este desastroso mandato de Dilma. Votar no PT para ver o circo pegar fogo com a esperança de derrota-los em 2018 pode ser tarde demais, como foi na Venezuela e nos demais países que enveredaram pelo bolivarianismo.

Votemos então no Aécio no 1º turno e na Marina no 2º turno. Afinal, em uma eleição onde apenas três dos onze candidatos não foram petistas, o desafio é escolher o menos petista.

Por fim, aos meus amigos petistas, resta-me fazer um apelo as suas consciências. Que reflitam sobre o lamentável ponto que chegamos, sobre o medo do PT sair do poder. Por que será? Será que estão mais preocupados com o Brasil  ou com seus interesses pessoais? Lembrem-se que ao votar no PT, você está o redimindo de toda a patifaria que está vindo à tona a cada dia. Se você realmente se preocupa com o futuro dos seus filhos e netos, por favor, abstraia a disputa eleitoral e exercite um dos mais elementares preceitos da democracia: a alternância do poder. No mínimo, a substituição dos governantes pode ajudar a desarticular as quadrilhas atuais que se apossaram da máquina pública. Se outras se formarão, este já será um outro problema a ser resolvido nas próximas eleições. Cada dia com sua agonia.

Dê esta chance ao Brasil, antes que seja tarde demais!

Posts relacionados:

13 Responses to A mentira vencerá?

  1. Marcos Juvela says:

    É amigo, vivemos um momento chave do ponto de vista político, no Brasil. Também estou desanimado e já nem consigo ver a propaganda eleitoral do PT. Não tenho estômago pra tantas mentiras e tanta disposição em destruir reputações. Às vezes me pergunto por que o mal prevalece sobre o bem com tanta intensidade sem que milhares de pessoas se dêem conta disso. Vejo com freqüência pessoas de gênio defenderem o governo afirmando que o PT tem muitos problemas mas que pelo menos se preocupou com os pobres. Será que estão cegos ou “torcem” para o partido como se fosse para um time de futebol, independente das mentiras, da inoperância, das distorções, da corrupção institucionalizada, dos crimes, do fisiologismo, das compras de dossiês falsos, e de sempre colocarem os interesses pessoais e do partido acima dos interesses do Brasil? Estou desanimado e preocupado mas afinal, a esperança é a última que morre, então vamos aguardar que a população enxergue a verdade.

    • Amilton Aquino says:

      Olha, Marcos, felizmente aqui no Brasil está surgindo uma reação que não houve nos nossos vizinhos bolivarianos. A cada dia mais gente acorda em relação ao autoritarismo do PT. O medo que tenho é que a coisa se acirre a tal ponto que descambe para a violência ou movimentos separatistas. É desanimador, mas não podemos nos acovardar. Independente de quem ganhe as eleições, temos que continuar educando as pessoas. Só com muita informação é que podemos desmascarar o discurso maniqueísta petista. Abraço!

  2. Pedro Mundim says:

    O PT guarda algumas semelhanças com o bolivarianismo venezuelano e argentino,mas também algumas diferenças. A principal diferença é que a militância petista é desarmada, ao contrário da militância chavista e kirshnerista. Isso significa que o PT (por enquanto) depende de eleições democráticas para se manter no poder, e eleições democráticas só são vencidas com o povo satisfeito em poder comprar uma geladeira nas Casas Bahia pagando em 15 vezes. É por este motivo que o PT, embora estique o elástico, não o arrebenta: ao menos a cúpula petista está ciente de que a única verdadeira base de sua atual hegemonia é a estabilidade herdada de FHC, que mediante a expansão do crédito, possibilitou um notável ganho de poder aquisitivo pela classe trabalhadora. Se deixar a inflação voltar, aí acabou-se: a carruagem volta a ser abóbora, e os milhões que passaram à classe C voltam à classe D.

    Mas o sonho dos petistas é voltar aos tempos dourados, quando se podia rodar e maquininha de fazer dinheiro e magicamente cobrir os rombos das contas do governo, mandando a fatura para o infeliz usuário do papel-moeda, que a pagava mediante a perda de seu poder aquisitivo. Eles não desistem deste objetivo, já conseguido na Venezuela e na Argentina, e olham o Banco Central tal como um ex-alcoólatra olha um copo de cachaça sobre o balcão de um botequim. A partida para um projeto autoritário estilo bolivariano pode se dar em duas circunstâncias: primeiro, se o PT se sentir forte o bastante a ponto de substituir o apoio espotâneo das massas por uma militância armada, e segundo, ao contrário, se o PT se sentir enfraquecido e prestes a perder o poder, então vai partir para o tudo-ou-nada mediante um golpe de estado, como o que está sendo tentado com esse plebiscito. Quem viver, verá.

    • Amilton Aquino says:

      Ótima analogia esta de esticar o elástico. Ilustra bem a expensão do crédito na era PT. O problema é que eles não entenderam ainda que não podem mais continuar esticando o elástico. Mais um pouco e o elástico quebra.

  3. Abbud says:

    Ola Amilton, concordo em partes com o seu comentário.

    Concordo quando diz em votar no candidato mais longe do petismo, inclusive achei que estava ficando louco, pois eu olhava para os 11 candidatos, e via apenas um e incrivelmente um que não foi nem nunca apoiou o Lulopetismo em toda sua vida pública, que é o Aécio! E ainda tendo que escutar de gente instruída que a Marina era a mudança! E o que o Aécio estava fazendo uma campanha fraca.

    Também concordamos no ódio ao maior mal caráter da história política brasileira, e revolta com a ignorância e chance que perdemos a cada eleição.

    Mas não concordo com um cenário tão pessimista como você coloca, primeiro por que as pesquisas até ontem não capturaram o escândalo da Petrobrás, e ontem já tivemos uma movimentação muito positiva do Aécio +4 e Negativa da Marina -3, e um pouco menos da Dilma -1 na pesquisa IBOPE.

    Embora tenhamos uma esperança na eleição para Presidente, tivemos agora também a pesquisa para deputados federais do link abaixo, que comprovam que para o legislativo já seria exigir demais de um povo mal qualificado e informado que temos.

    http://painel.blogfolha.uol.com.br/2014/09/17/tiririca-russomanno-e-maluf-lideram-para-deputado-em-sp-feliciano-e-o-5o/

    Acredito que com a artilharia do PT contra Marina, forçando ela para o campo da polarização, e o Aécio com a correta postura da racionalidade somado aos desdobramentos do caso Petrolão, ele será o maior beneficiado, com chances reais de ir para o segundo turno por uma diferença mínima para Marina, muito fruto hoje do voto de manada.

    Com relação ao futuro da Democracia brasileira discordo do risco Venezuela completo, embora podemos ter parte do problema.

    Diferentemente da Venezuela e também da Argentina, nossa economia e setor privado é muitas vezes maior e diversificado, basta saber que temos dois bancos privados nacionais, que se bobear teem em ativos mais do que o PIB da Venezuela.

    Este é um poder muito forte que não deixará que o PT acabe com o status quo, ao mesmo tempo que o PT não pode acabar com a sua geração de receitas, caso contrário a conta não fecha.

    Meu pessimismo é apenas em relação ao tempo que o povo brasileiro vai precisar para aprender se “fod….” com seus eleitos, mas mantidas o status quo minimamente democrático atual, de eleição de menos pior em menos pior, com certeza não entraremos no nível Venezuela, mas pode demorar.

    É como eu digo, o LULA só não pode morrer antes de morrer politicamente, caso contrário virará mito como Getulio Vargas e Juan Perón, que morreram no poder e que deixaram um herança política maldita que perdura até os dias atuais, especialmente em nosso vizinho.

    • Amilton Aquino says:

      Olá Abbud! Fiquei mais otimista nesta semana também. Dilma perder três pontos percentuais em meio a um escândalo como o Petrolão, com um país em recessão e depois de uma semana inteira de mentira deslavada não é algo tão significativo como deveria ser. Mesmo assim nos dá um novo ânimo. Quanto as suas ponderações sobre a Venezuela, não sou tão otimista assim. A maioria dos nossos mega-empresários foram cooptados pelo PT via empréstimos do BNDES. Portanto, se houver uma reação esta não será puxada pelos empresários. Acho até mais provável vir dos militares do que dos empresários. Mas não se iluda. A cada dia acontecem aqui coisas mais estranhas que há alguns nos seriam impensáveis na nossa democracia. Dá uma olhada neste post e relembra a escalada autoritária que estamos trilhando: http://visaopanoramica.net/2014/04/12/a-cronica-de-uma-tragedia-anunciada-parte-2/

      O fato é que as coisas vão acontecendo e vamos nos acostumando com os absurdos de tal forma que perdemos a noção do caminho que percorremos. Desde que este post foi escrito até os dias atuais, muitos outros passos autoritários foram dados. Não se engane. O PT é um partido gramscista. Ele se acha o “príncipe” descrito por Gramsci. Por isso faz qualquer coisa para se manter no poder. Celso Daniel que o diga. Abraço!

  4. Rian says:

    Querem destruir Dilma para a volta do Neoliberalismo.
    O neoliberalismo foi vendido nos anos 90 como uma panaceia para os problemas do terceiro mundo. O sistema pregava o estado mínimo, que seria mais eficiente, deixando o mercado financeiro e serviços essenciais à população sob o comando das empresas privadas.

    O resultado, e quem viveu aquela época já conhece, que na prática parte do patrimônio público foi dilapidado em favor dos amigos do rei e não houve nenhum retorno das vendas das estatais ao seu legítimo dono: o povo. O estado não se tornou mais eficiente com a piora dos serviços públicos que permaneceram sob seu controle e ocorreu uma precarização dos serviços privatizados, que passaram de ruins sob o controle do estado, para péssimos com a iniciativa privada, que em alguns casos cartelizou serviços que além de ruins hoje são caros.

    Você conversa com um tucano sobre o fracasso das privatizações e eles vêm com aquela mesma conversa fiada da popularização dos celulares, que ocorreram única e exclusivamente pelo salto tecnológico dos aparelhos naquela década que os barateou no mundo todo, independentemente de serem em países com o setor de telecomunicação controlado por estatais ou empresas privadas.

    O modelo fracassado, que causou desemprego com taxas de dois dígitos, quebradeira de pequenas empresas e indústrias e que paralisou a economia por uma década com juros escorchantes com a taxa SELIC atingindo a inacreditáveis 45%, foi definitivamente sepultado com a grande crise econômica internacional de 2008, em que o mundo todo foi prejudicado por uma ciranda irresponsável de atores do mercado financeiro internacional.

    A auto regulação dos mercados na prática se mostrou nociva para a saúde financeira mundial e o mundo inteiro passou a tomar medidas para acompanhar e fiscalizar mais o que o mercado financeiro anda fazendo. Em contrapartida países que tiveram ações anticíclicas, ou seja, tomaram as rédeas do setor financeiro, implementando ações para evitar que a crise prejudicasse o emprego das pessoas, foram os primeiros a reagir à crise.

    Agora o neoliberalismo veste a fantasia do novo e quer dizer que o passado é o novo e, que a velha fórmula de exclusão social que provocou tanta miséria, é uma receita nova milagreira para resolver todos os nossos problemas e do mundo por tabela.

    A candidatura Marina está cada vez mais identificada com os preceitos do neoliberalismo, ou vejamos, independência do Banco Central com a transferência para os rentistas o controle de quanto vão lucrar e quantos empregos vão destruir, a flexibilização das leis trabalhistas com a “atualização da CLT”, a entrega do pré-sal a petroleiras americanas e inglesas, com nova campanha para reduzir, sucatear e depois vender a Petrobras.

    Tudo o que os tucanos sempre quiseram fazer mas escondiam perto das eleições, porque carregam até hoje a pecha da destruição que causaram ao país. Os poucos que ganharam no tempo da miséria do povo brasileiro encontraram uma forma de voltar ao poder, arrumando uma nova cara para suas ideias ultrapassadas, que não tenha a repulsa da população, como os tucanos.

    A estratégia pode parecer inteligente, mas não é tão simples. A rejeição a FHC ainda é muito grande, pesquisas de alguns meses atrás mostram isso, por isso o candidato do PSDB está no fundo do poço, mas política é uma equação complexa, para receber o apoio dos tucanos no segundo turno, a nova cara do velho pode assimilar a rejeição dos seus novos aliados, eu gostaria de ver o FHC e o Aécio pedindo votos para a marina, a Dilma agradecerá.

    • Amilton Aquino says:

      Olha Rian, às vezes eu tenho até o impulso de torcer para a Dilma ganhar, para que ela mesma pegue a bomba que está para estourar para ver se vcs petistas finalmente acordam para a realidade. Fico impressionado com a capacidade que vcs têm de distorcer tudo. O Brasil se saiu melhor da crise porque, primeiro, não estava no foco da crise (ao contrário dos anos 90, onde o foco era os emergentes); segundo, porque o grau de endividamento da população ainda estava baixo; terceiro, porque a economia estava em pleno auge surfando na onda chinesa e colhendo os frutos das reformas “neoliberais” do governo FHC. Com o crédito rolando solto, as pessoas foram às compras e o PT ficou achando que tinha descoberto o motor perpétuo do crescimento. Passada a euforia inicial e esgotada mais uma de nossas fichas (a capacidade de endividamento da população já está no teto) , eis que só agora o PT descobriu o poder do “contexto internacional”. Na época de FHC tudo de ruim era culpa do governo. Agora tudo é culpa da tal “crise mundial”, apesar de estarmos no governo Dilma crescendo a metade da média mundial e 1/3 da média dos emergentes e pobres. Ou EUA já saíram da crise, a Europa está saindo e o Brasil está entrando na crise. Será que vc ainda não percebeu? Todos os indicadores econômicos pioraram (e continuam piorando!). Até mesmo a desigualdade que vinha caindo desde os anos 90 agora está aumentando. A concentração de renda aumentou nos últimos anos. A violência aumentou. Enfim, tudo piorou e vc ainda acha que estamos no caminho certo? O fato é que o “modelo petista de governar” só funcionou durante a bolha imobiliária dos EUA combinada com a fase mais intensa da globalização chinesa. O governo não só não aproveitou esta fase para fazer as reformas estruturais deixadas na agenda de FHC, como ainda esgotou todas as nossas vantagens competitivas. Resultado: hoje a participação da nossa economia no PIB mundial é ainda menor do que foi no final do governo FHC: 2,90%. Acontece que o PT não gosta de mostrar este dado. Prefere mostrar o ranking das economias, pois uma vez que nosso país é continental e tem uma das maiores populações do mundo, nossa subida mais rápida no ranking de PIB absoluto dá a impressão falsa de que galgamos posições, quando, na verdade, estamos caindo posições. Os serviços privatizados pioraram? Não, não pioraram. Melhoraram bastante nos primeiros anos e só depois que o governo do PT aparelhou também as agências reguladoras é que a coisa começou a piorar. Mas esta não é a questão central das privatizações. O fato mais relevante é que o governo simplesmente não tinha os recursos necessários para fazer os investimentos que os setores demandavam. E esta foi a mesma conclusão que o PT chegou ao lançar sua versão fracassada de privatização. Resultado: estamos tendo e vamos continuar a ter sérios problemas de infra-estrutura justamente pela demora do PT em dar o braço a torcer. Aliás, já percebeu que nem mesmo nos debates o assunto privatização está sendo tocado nos debates? Pois é. Até o PT já se rendeu sobre este assunto. Só falta agora combinar com a militância.

  5. Abbud says:

    Rian, o seu discurso contra as privatizações e deliírio contra o neoliberarismo beira o absurdo, só te faço uma reflexão para acabar como seu argumento: Voce tem filho na escola primária privada ou gostaria de ter se tivesse condições financeiras? Voce paga plano de saúde ou pagaria se tivesse condições? A não ser que voce seja um louco suicída a resposta seria SIM! Então, antes de se revoltar e protestar contra a privatização de indústrias e setores de duvidosa função social, que tal protestar e exigir Educação básica e Saúde de qualidade com cobertura universal, que não há dúvida nenhuma que é função de Estado? E não adianta dizer que dava para fazer as duas coisas bem, se o Estado há séculos não faz o que é fundamentalmente dele por incompetência, corrupção e falta de recursos, o que ajuda ter mais setores secundários e notadamente muito mais eficientes na iniciativa privada na mão do Estado? Portanto só há dois motivos para alguém ser contra as privatizações feitas e que ainda poderiam ser feitas no Brasil, ou é um cego que vive no começo do século passado, aonde a criação de indústrias e setores estatais foram importantes , ou quer defender a sua boquinha no setor público e que se dane o povo que não tem escola e saúde, pois você pode pagar por ela..

  6. O que a esquerda entende como neoliberalismo:

    A aplicação do capitalismo Laissez faire na economia.

    Mas “neoliberalismo” nunca foi isso, no principio era a aceitação por parte de alguns liberais (Hayek) de um certo grau de intervencionismo.

    Capitalismo Laissez faire e intervencionismo são conceitos antagônicos.

    Já o consenso de Washington outra forma que a esquerda entende como “neoliberalismo” apenas é a reforma do estado interventor, observe ele não prega o fim do intervencionismo apenas reduz o nivel de intervenção para que a economia não entre em colapso que o destino de uma economia intervencionista.

    Neoliberalismo por qualquer forma que se entenda não é sinônimo de capitalismo Laissez faire, a confusão proposital é usada como arma retórica esquerdista, você cria um espantalho para bater.

    Não existe “neoliberalismo”, pq o estado brasileiro nunca diminuiu de tamanho pelo contrário só aumentou.

    Como disse acima, por qualquer angulo que se veja o estado brasileiro nunca diminuiu de tamanho.
    O gasto, arrecadação, carga tributária, liberdade econômica, burocracia, leis, divida publica bruta, etc.

    A cada dia o estado controla mais e mais a vida do cidadão, o que nos levará a ascensão de uma “ditadura perfeita” que terá aparência de uma democracia.

    • Amilton Aquino says:

      Perfeitas considerações, Liberal. Não têm muita relação com o tema do artigo, mas resume bem a confusão que a esquerda faz deste ente “neoliberal”.

  7. Abbud says:

    Olá Aquino estamos em uma batalha e tanto no FB e Blogs, e não tive o tempo que gostaria para fazer comentários, vim aqui só para reforçar a esperança de vencermos a mentira, lembre o comentário que fiz lá trás ainda no meio de Setembro aonde muitos já tinham jogado a toalha e que reproduzo abaixo: “Mas não concordo com um cenário tão pessimista como você coloca, primeiro por que as pesquisas até ontem não capturaram o escândalo da Petrobrás, e ontem já tivemos uma movimentação muito positiva do Aécio +4 e Negativa da Marina -3, e um pouco menos da Dilma -1 na pesquisa IBOPE. Acredito que com a artilharia do PT contra Marina, forçando ela para o campo da polarização, e o Aécio com a correta postura da racionalidade somado aos desdobramentos do caso Petrolão, ele será o maior beneficiado, com chances reais de ir para o segundo turno por uma diferença mínima para Marina, muito fruto hoje do voto de manada”

    • Amilton Aquino says:

      Verdade, Abbud. Você estava certo. Eu estava pessimista demais. Mas, convenhamos, a votação do Aécio no primeiro turno foi uma surpresa pra todo mundo.