Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

Os três maiores mitos do PT

lula_e_dilma

Nestes doze anos de debates intensos na Internet algumas conclusões são consenso até mesmo entre petistas. Vejamos:

 

 

  • O governo do PT foi beneficiado por um contexto internacional favorável.
    Até mesmo Lula já reconheceu isso. Não só o crescimento mundial foi acelerado a partir de 2003, como também os países emergentes foram ainda mais beneficiados pela aceleração, tanto que, pela primeira vez na história, o conjunto do PIB dos países emergentes ultrapassou o conjunto das economias avançadas. Só para ilustrar a diferença de cenários, a renda per capta mundial, que passou os oito anos de FHC estagnada em U$ 5,2 mil, pulou para U$ 9 mil já em 2007. Os nossos termos de troca subiram de 0,8 por dólar no final do governo FHC para 1,4 de dólar já no segundo ano do mandato de Lula. Com mais dinheiro entrando com as exportações, toda a economia foi irrigada, gerando o circulo virtuoso do desenvolvimento verificado a partir de 2004. Portanto, qualquer que fosse o presidente a substituir o FHC teria sido beneficiado com o cenário externo e, portanto, teria mais dinheiro disponível para investir.
  • O governo do PT colheu os frutos das reformas implementadas pelo governo FHC.
    Até mesmo Dilma já reconheceu isso. O governo do PT foi o primeiro, desde a década de 80, a assumir sem ter como principal desafio acabar com o “dragão da inflação”. As dificuldades enfrentadas por Lula no primeiro ano de governo foram decorrentes justamente da piora dos nossos indicadores devido ao temor do mercado de que o PT mudasse a macroeconomia construída a duras penas por FHC. Ao reforçar ainda mais as metas do tripé econômico herdado, o governo do PT acalmou o mercado e os indicadores econômicos em poucos meses retornaram aos patamares anteriores a “Crise Lula”. Livre das preocupações com a macroeconomia, o governo do PT assistiu a rápida expansão dos investimentos dos setores privatizados na era FHC. As teles multiplicaram o número de celulares, telefones fixos e TVs a cabo numa velocidade duas vezes superior ao crescimento do PIB; a Petrobrás triplicou sua produção em dez anos, depois que foi aprovada a quebra do monopólio do setor, em 1997; a Embraer tornou-e a quarta maior fabricante de aviões do mundo; a Vale chegou ao posto de segunda maior mineradora do mundo, entre outros exemplos de aumento de competitividade. Portanto, qualquer que fosse o governo a substituir FHC, teria assistido a melhora significativa de tais setores, criando milhões de empregos, fortalecendo a economia e aumentando significativamente a arrecadação do governo. Com mais dinheiro em caixa, o governo do PT pode se dedicar a agenda fácil do desenvolvimento: aumentar os investimentos.
  • O governo do PT não aproveitou o cenário positivo para continuar as reformas agendadas no governo FHC.
    Quando oposição, o PT votou contra todas as grandes votações que ajudaram o país a ser apontado como um dos BRICs, em 2001. Portanto, o Brasil se tornou um Bric antes do PT chegar ao poder, simplesmente por ser um país continental que tinha efetuado reformas estruturais na década de 90 e que entravam na década de 2000 com grande potencial de crescimento. Ao abdicar aparentemente à suas posturas irresponsáveis, o governo Lula assumiu prometendo dar continuidade às cinco grandes reformas agendadas já no discurso de posse do primeiro mandato. Não fez nenhuma. O máximo que chegou foi a pequenas intervenções localizadas e à aprovação do fundo de aposentadoria complementar do setor público, que só entrou em vigor uma década depois, já no governo Dilma. Não por acaso, o famoso “custo Brasil” não reduziu um centavo na era PT, nossa estrutura tributária continua tributando muito quem emprega, reduzindo nossa competitividade, principalmente no setor da indústria. Portanto, qualquer que fosse o governo que tivesse substituído FHC e que tivesse continuado as reformas pendentes hoje estaríamos colhendo seus frutos. O PT não plantou e a consequência disso é que nossa economia cresce no governo Dilma metade da média mundial e a 1/3 dos emergentes e pobres.

Leia mais

By

A mentira vencerá?

medoAmigos, este post é mais um desabafo, pois realmente estou muito desanimado com a disputa presidencial e, por extensão, com os rumos do nosso país. Como havia previsto no meu último artigo, o escândalo do Petrolão não tirou nem um ponto da Dilma. Pelo contrário, ela até subiu nas pesquisas. Como explicar?

A primeira razão é óbvia: o povão está vacinado quanto à escândalos de corrupção. O PT os tornou tão corriqueiros que já não causam mais espanto, nem chamam mais a atenção.

A segunda também não é nenhuma novidade. Quem acompanhou por todo este tempo a desconstrução de FHC e demais adversários do PT não poderia esperar outra coisa, mesmo a atual adversária tendo vindo do próprio partido. Este fato só mostra a sordidez do PT. Se estiver com o partido, qualquer crime é justificado, até mesmo de figuras repulsivas como Maluf. Se estiver contra, qualquer um será triturado, inclusive ex-petistas ilustres como a Marina, que até bem pouco tempo era considerada uma das “reservas morais” do partido!  Pois é. Como o mundo dá voltas. A Marina hoje paga o preço de se calar quando o seu antigo partido fazia o mesmo com o PSDB. Será que ela sente remorsos?

Sim. Acho que isso ajuda a explicar o porquê de suas lágrimas, ao lamentar que nunca imaginou que o PT um dia viria tentar destruí-la.  E eis que Lula mais uma vez sai do seu silêncio conveniente em relação ao Petrolão para ironiza-la, dizendo que tais lágrimas são de crocodilo. Ele, mais uma vez, esquece de suas lágrimas quando estourou o escândalo do Mensalão, jogando toda a culpa nos “companheiros”, quando na verdade hoje todo mundo sabe que ele sabia sim de tudo, não só em relação aquele escândalo, como também em relação ao Petrolão, como a Revista Isto É desta semana comprova , mostrando os elos que ligam os casos e mais um indício de que Lula era chantageado por Janene, uma vez que este sabia demais. E este cara tem o topete de falar de lágrima de crocodilo?

Com tanta cara de pau, ainda temos que escutar este cara aos berros em comícios sustentando as mentiras veiculadas pela campanha do PT e acusando Marina do que ele é. Pior, tem o topete de reclamar do ódio dos seus “adversários” estão implantando neste país!!!

Puta que o pariu!!!! Perdoem-me meus leitores. Vocês não estão acostumados a ler palavrões por aqui. Mas, como não odiar este cara? O cara praticamente foi conduzido por FHC ao Planalto, passa todos estes anos desconstruindo seu antecessor, dividindo o país entre seus apoiadores incondicionais e seus “adversários”, mente desvairadamente, corrompe, justifica a corrupção dos aliados, reincide no crime e ainda tem o topete de vir falar da “campanha do ódio dos adversários”? A cara de pau desse sujeito não tem limites? Será que não tem nenhum peso na consciência?

Certamente não. Psicopatas não sentem remoço. Mas o mais detestável de tudo isso é ver tanta gente “bem informada” defendendo-o com unhas e dentes. Sintam-se responsáveis por este clima de guerra que está sendo instalado no Brasil. Quando começarem a surgirem movimento separatistas e a barbárie que já acontece na Venezuela chegar por aqui, lembrem-se que vocês estão sendo cúmplices de tudo isso.

Leia mais

By

Um país imune à escândalos

Petrobras-Lula-Maos-sujasE a história se repete. Mais um fim de semana com um novo escândalo de grandes proporções envolvendo o governo do PT. Em outras épocas, as revelações do ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, que atingem mais de cinquenta políticos da base do governo do PT, provocaria, no mínimo, uma grande repercussão, o desencanto de boa parte dos seus apoiadores (eu fui um dos eleitores do PT que se desencantaram na época do Mensalão) ou até pedidos de impeachment, como aconteceu em 2004.

Só para lembrar, Collor caiu por uma acusação de caixa dois que hoje corresponderia a apenas uma fração do que o governo Dilma gasta “legalmente” via cartão corporativo, gastos estes que não podem ser revelados por causa de uma legislação específica que permite que os pagamentos não sejam públicos com a desculpa de “garantia da segurança da sociedade e do Estado”.

Pois é, posso até me surpreender desta vez já que o delator avisou que se abrisse o bico não haveria eleição. Mas até aqui a experiência nos mostra que os constantes escândalos do PT anestesiaram nossa sociedade. De tão comuns já não escandalizam, principalmente seus fiés eleitores. Vejamos:

Há quatro semanas foi a contadora do doleiro Youssef que abriu o bico e nada aconteceu. Na semana seguinte, o escândalo da farsa da CPI da Petrobrás, cujas perguntas e respostas eram ensaiadas antes das sessões de mentirinha. E nada aconteceu. Na semana passada, a PF comprovou uma das denúncias de Marcos Valério que provam o pagamento de R$ 6 milhões a um empresário que chantageava Lula com o caso Celso Daniel, caso este que deixou um saldo de oito mortes (repito OITO MORTES) no esquema de caixa dois que levou o PT ao poder em 2002 (ver aqui). Quantas pessoas ficaram sabendo deste caso?

Ora, se um caso que envolveu oito mortes não causou nenhuma grande repercussão, por que será que mais uma denúncia de corrupção na Petrobrás poderá suspender as eleições? Leia mais