Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos. Pelo mesmo motivo (Eça de Queiroz)

By

Um país cada dia mais dividido e cheio de ódio

dilma_vaiadaAmigos, este post é um desabafo de um ex-petista. Sei que hoje sou visto de forma enviesada por muitos de meus amigos de outras épocas, mas este post é dedicado a eles e todos os petistas que ainda não perceberam que foram enganados por Lula e pelo PT.

E por que tenho me empenhado tanto neste assunto ultimamente? Porque percebo já há muito tempo que estamos trilhando o mesmo caminho sem volta da Venezuela, nosso vizinho que está à beira de uma guerra civil. Tenho alertado sobre este processo gradativo aqui no nosso blog desde 2009 e a cada ano vejo concretizados os meus temores, conforme pode ser visto nos meus últimos posts.

Recentemente ganhei um colega de trabalho venezuelano que está no Brasil justamente para se afastar do inferno que está a Venezuela. Conversamos sempre que podemos sobre as novidades de ambos os países e a constatação é sempre a mesma: o Brasil de hoje é a Venezuela de alguns anos atrás. Infelizmente, caminhamos a passos firmes para a recessão, com inflação, população em pé de guerra, protestos em todos os lugares, violência galopante e, por fim, a consolidação do autoritarismo. Não é preciso ser nenhum cientista político para perceber que já estamos vivendo isso no Brasil. Em escala menor, mas progressivamente e cada ano mais rapidamente.

A estagflação já bate a nossa porta e ao invés do governo acenar na direção contrária ao agigantamento do Estado que está na raiz dos problemas atuais, o PT divulga as diretrizes para um eventual segundo mandato de Dilma com uma guinada ainda mais à esquerda, prometendo um alinhamento ainda maior com os bolivarianos, mais controle do mercado, “regulação” da imprensa, entre outras barbaridades colocadas em prática por Hugo Chavez, inclusive o objetivo final de implantar o socialismo no Brasil (ver aqui). Isto sem falar no famigerado decreto 8.243 que cria uma base de poder paralela ao Congresso, com representantes que não serão eleitos pelo voto, mas terão poder de influir na administração do país, bem ao modo soviético.

O que mais falta acontecer para que as pessoas percebam este lamentável processo de venezuelização do Brasil? Quantas tentativas de controle da imprensa serão necessárias para provar as intenções autoritárias do PT? E as tentativas de controle do Judiciário? E a tentativa de castração do poder de investigação do Ministério Público? E a tentativa de subjugação do Congresso via mensalão já no primeiro ano de governo? E o escandaloso boicote do TRE à criação do partido da Marina Silva, ao mesmo tempo que liberava sem qualquer empecilho a criação de outros partidos nanicos que não tiveram o menor conhecimento da população até surgirem do nada? E os constantes e cada vez mais frequentes desacatos da presidente à legislação eleitoral ao fazer campanha descarada nos comícios que tem feito em inaugurações pelo Brasil, como também nos cada vez mais constantes pronunciamentos em cadeia nacional onde ataca diretamente “seus adversários”? Será que estes fatos não significam nada? Quantas provas de canalhices o PT e Lula terão que apresentar para provar o que tantas pessoas tem alertado?

Os xingamentos à Dilma na abertura da copa tornaram ainda mais evidentes este processo de degradação da nossa sociedade. Nosso pais está dividido. Nunca nos odiamos tanto. É um fato. Nas redes sociais, nos ônibus, nos restaurantes, onde quer que tenha alguém conversando sobre algum assunto que faça alguma referência à política ou à copa, o ódio vem logo à tona. E a discussão é sempre fulanizada. Fulano é bom por isso. Sicrano é ruim por isso. Ao invés de discutir as questões fundamentais como, por exemplo, por que o Brasil está na rabeira do crescimento da América Latina, as pessoas preferem discutir questiúnculas como “a submissão de FHC ao FMI”!

Mas em cada novo assunto em discussão, mais ficam evidentes as mentiras do PT. Neste caso dos xingamentos a Dilma, por exemplo, temos agora Lula fazendo mais uma vez o papel de vítima. E vejam só que cara de pau: tentando dar lição de moral! O cara que tentou currar um colega de cela (segundo o relato do ex-petista César Bejamim), o cara que falou que a cidade de Pelotas é exportadora de viados, o cara que dedurava seus colegas na época da ditadura (segundo Romeu Tuma Júnior), que renegou seus companheiros várias vezes só para livrar sua pele entre outras barbaridades, agora quer pousar de moralista.

Ele esquece que o PT fazia muito pior. O PT não apenas xingava, agredia fisicamente também. Quem não lembra de José Dirceu insuflando a massa petista à surrar os tucanos nas ruas e nas urnas? Quem não lembra dos xingamentos e até agressão física ao então governador Mário Covas? (ver aqui) Quem não lembra dos xingamentos dos militantes petistas em cada recanto deste país nas milhares de greves comandadas pelo seu braço sindicalista, a CUT?

Ah! Mas o problema é não é xingar! O problema é a falta de respeito à instituição Presidência da República, argumentam alguns colegas. E aqui mais uma vez fica explicito o duplo padrão moral do PT. Xingar a presidente da República não pode. Xingar o presidente do STF pode. Não apenas xingar, como também ameaçar de morte. Alguma nota de repúdio do PT? Nenhuma. E quanto às acusações gravíssimas de César Benjamim, Tuma Júnior, Gilmar Mendes e tantos outros que ousaram desafiar o deus Lula? Alguma resposta enérgica do Lula? Não. Apenas recados indiretos por seus bajuladores ou, quando muito, murmúrios de uma “vítima inocente” de uma campanha difamatória “dazelite”. Algum processo em retaliação a tais “acusações falsas”? Nenhum.

E sabe por que não há processos por calúnia? Porque Lula sabe que se for para um tribunal discutir tais assuntos muito mais coisas vão aparecer. Então, melhor adotar sua tática preferida nos últimos tempos: o silêncio, afinal ele sabe que sempre vai contar com seus milhões de adoradores que engoliram o discurso cínico do PT de que “tudo não passa de conspiração da elite golpista”.

E olha só que ironia. O Lula que veio a público fazer sermão dizendo que nunca xingou nenhuma autoridade, é o mesmo Lula que xingou publicamente o honrado presidente Itamar Franco, chamando-o de “filho da puta”! (ver aqui). E o cara de pau não ficou por aí. Na mesma ocasião chamou o ministro Eliseu Rezende de “canalha” por estar mais preocupado em ajudar os empreiteiros no exterior do que resolver os problemas do país. Logo ele, o cara que mais fez conchavos com empreiteiras pelo mundo a fora, alguns dos quais já vieram à tona como, por exemplo, a construção de uma rodovia na Costa Rica, onde Lula já foi convidado pela justiça do pais para depor.

Mas, voltando as vaias, o PT já tinha proibido cartazes de protestos nos estádios (ver qui) E cadê a “imprensa golpista” que nem sequer denunciou tal autoritarismo? Onde foi parar a tal “liberdade e expressão” tão endeusada por estes cínicos esquerdistas do poder que dizem ter lutado pela democracia, quando na verdade queriam implantar um ditadura comunista no Brasil?

Mas o problema não é a manifestação contrária, ouvi de alguns governistas. O problema estaria nas palavras de baixo calão proferidas diante de crianças e mulheres, mais precisamente a palavra “cu”.  Ok, então vamos relembrar mais uma pérola de Lula falando a uma mulher, Marina Silva: “Marina, essa coisa de meio ambiente é igual a um exame de próstata: não dá pra ficar virgem toda a vida. Uma hora eles vão ter que enfiar o dedo no cu da gente.” Tudo bem que aqui ele não estava xingando a Marina, mas o evento revela a “preocupação” com a liturgia do cargo do agora moralista Lula.

Ou seja, o PT não tem moral para falar nada de ninguém. O próprio passado o condena. Antes eles até que mentiam sem maiores prejuízos. Mas agora com a internet está ficando mais difícil, pois sempre vai aparecer um “reaça” com um vídeo ou um recorte de jornal mostrando os petistas fazendo exatamente o que agora estão criticando.

E mais uma vez Lula se supera! Vejam a suprema cara de pau deste cara. O sujeito que transformou o exercício da presidência em um processo de eleição eterno, que passou todos estes anos estimulando a luta entre ricos e pobres, entre negros e brancos, entre petistas e tucanos, agora vem a público dizer que “seus adversários estão conseguindo fazer o que o PT nunca conseguiu fazer: despertar o ódio na campanha”!!!!

Sim. Ele teve o topete de dizer isso. E completou: “E (eles) não medirão esforços para a quantidade de mentira e preconceitos que vão contar”. O cara é desmentido por ele mesmo o tempo todo; seu partido já foi desmascarado várias vezes criando dossiês falsos; paga a uma militância mercenária para caluniar e mentir na Internet; tem um filho réu confesso empenhado em derrubar sites de críticos do PT (tal pai, tal filho!), e ainda assim tem a cara de pau de atribuir tudo o que eles fazem desde sempre à raquítica oposição que já se apressou em condenar os xingamentos!

E não só os candidatos. Vários formadores de opinião se deixaram levar pela chantagem emocional do PT. O Kennedy Alencar, do sistema Globo de Rádio, é um exemplo. Já há alguns meses a Mírian Leitão, há muito tempo xingada de urubóloga e tantos outros adjetivos nada nobres pelos petistas e mais precisamente pelo blogueiro chapa-branca mó, o famigerado Paulo Henrique Amorin, publicou um artigo criticando Reinaldo Azevedo e Rodrigo Constantino por eles “emburrecerem o país”. E o que eles fazem? Respondem a altura a enxurrada de xingamentos que os blogs financiados pelo PT espalham na web, um “novo jornalismo” mais descontraído que há muito tempo chama autoridades por apelidos nada respeitosos.

Pronto! Agora a cabeça do militante teleguiado petista entra em parafuso! Como é que o saco de pancadas deles, a Mírian Leitão, da odiada Globo, que supostamente faz parte da “mídia golpista” critica os “rottweilers” da Veja e nem lembra do PHA que a hostiliza todos os dias? Como assim Bial? Eles não estão unidos para derrubar o PT?

Não! Este é apenas mais um caso que prova aquilo que os leitores do Reinaldo e do Rodrigo já sabem há muito tempo: o esquerdismo domina amplamente o meio acadêmico e a imprensa. Com exceção da Veja (e talvez um pouco o Estadão) que felizmente resistem bravamente à tentativa de monopólio da opinião pública pelo PT, os demais veículos têm um predomínio de jornalistas esquerdistas em suas redações. Aliás, até no Estadão tem esquerdista. Outra prova disso é que o Reinaldo Azevedo ao ser contratado pela Folha (já que é campeão de audiência no Brasil) foi hostilizado pelos colegas que não o queriam lá. Por que será?

O militante esquerdista não consegue entender estas nuances porque foi condicionado a acreditar que a mídia é um grupo homogêneo, totalmente alinhado à oposição e com um exército de jornalistas teleguiados que escrevem apenas o que os donos dos veículos querem. Não é assim, pessoal. Menos. Muito menos. Nas redações tem gente de esquerda e de direita e ninguém vive sendo pressionado por editores para escrever assim ou assado. Nas raras vezes em que isso ocorre tais casos ganham grande repercussão. Imagina um caso desses sendo “trabalhado” pela militância petista…

De uma vez por todas entendam: a verdadeira censura que acontece todos os dias é a autocensura dos próprios jornalistas, dominados pelo “politicamente correto” da esquerda. O caso citado da Mirian Leitão acima é um exemplo disso. Ela há muito tempo é xingada pelos petistas e resolveu aproveitar a perda de popularidade da Dilma para fazer uma média com os petistas e, no final, ainda pousar de imparcial.  Ninguém gosta de ser xingado, de modo que a maioria dos jornalistas procura vestir a capa da imparcialidade. E muitas vezes esta capa leva o jornalista ao joguinho do cravo e da ferradura. O Kennedy Alencar da CBN é mestre nisso. Ele não consegue fazer uma crítica ao PT sem, logo em seguida, dar uma beliscada no PSDB.

Claro que existem “negociações” com a cúpula de tais empresas para veiculação de matérias específicas que favorecem a um determinado lobby. Mas esta não é a regra. É a exceção. E tais casos quase sempre estão relacionados ao PT que tem barganhado até mesmo a saída de jornalistas incômodos ameaçando cortar verbas publicitárias, como aconteceu recentemente e descaradamente com a Raquel Sherehazade.

Enfim, já escrevi um longo artigo sobre esta a autocensura da imprensa, motivo pelo qual alguns assuntos estão proibidos de serem repercutidos no Brasil, como, por exemplo, os U$ 6 bilhões de dólares de empréstimos secretos do PT. Quem quiser entender um pouco mais sobre o panorama da nossa imprensa, clique aqui.

Para concluir cito um trecho de um ótimo artigo do Rodrigo Constantino que descreve muito bem o duplo padrão moral do PT neste caso das vaias:

A mesma esquerda que faz um ensurdecedor silêncio quando Joaquim Barbosa é xingado de tudo que é coisa, retratado como escravo açoitado em blog que usa o nome da presidente, e até ameaçado de morte; que enaltece bailes funks cuja espantosa baixaria ocorre diante da presença de adolescentes, como se não houvesse problema algum; que aplaude vândalos mascarados que não respeitam a ordem ou a polícia; que justifica os crimes de invasão do MST com base na “justiça social”; que jamais cobrou investigação maior sobre a morte de Celso Daniel; que vibra com as paradas gays que praticam crimes de atentado ao pudor só porque é coisa de “minorias”; etc.; essa esquerda vem agora simular uma indignação moral com um palavrão em um estádio de futebol? (ver o artigo completo)

Enfim, tenho muitos motivos para odiar o PT. E ninguém pode me acusar de que faço parte de uma suposta “mídia golpista”, nem de uma elite econômica, nem que sou desinformado e muito menos que sou fanático, afinal o longo caminho percorrido entre meu passado de militante petista e hoje é a prova disso. Foi um processo doloroso que levou cinco anos de muita reflexão, de leituras de argumentos de ambos os lados até me convencer finalmente do mal que o PT tem feito ao Brasil durante todos estes anos.

Espero sinceramente que este desabafo possa pelo menos colocar uma pulga atrás da sua orelha de meus amigos petistas, e que ela seja o impulso inicial para uma jornada de pesquisa e reflexão que, tenho certeza, vai levar às conclusões semelhantes às minhas e de milhões de brasileiros que finalmente descobriram quem de fato é Lula o seu partido, o único do país que tentou transformar seus corruptos em heróis.

“Quando os que comandam perdem a vergonha,
os comandados perdem o respeito”.
(Geogre Lichtemberg)

Posts relacionados:

9 Responses to Um país cada dia mais dividido e cheio de ódio

  1. Marcos Juvela says:

    Excelente resumo Amilton. Você e uma pessoa corajosa e de valor. Parabéns. Grande abraço, Marcos Juvela.

  2. Sua trajetória de vida é muito parecida com a minha. A partir da denúncia do mensalão passei a me perguntar quanto ao que mais o PT tinha mentido. E busquei muito até encontrar Reinaldo Azevedo e Olavo de Carvalho. Entendi o mal que o PT faz ao país e tenho lutando desde então. Parabéns pelo seu blog.

  3. Vânia Luz says:

    Texto ótimo, esclarecedor.

  4. kim says:

    Amigo sou aquele colega seu do face q vive te molestando pra transformar esses artigos seus em livro,mas pegando gancho, esse odio do PT vem desde de 89 na campanha nunca fomos enganados por isso,sempre houve essa divisao de classe,aquela epoca era entre empresario e trabalhadores e destruiçao da Rede Globo.

    • Amilton Aquino says:

      Ah, é vc então. Só não sei o que tem a ver Kim com Marcos, mas tudo bem. Ehehehehe! Verdade. O PT sempre vendeu este discurso da divisão da sociedade. Para chegar ao poder deu uma segurada, mas aos poucos foi retomando o velho discurso, só que agora com todo o aparato estatal, o que faz toda diferença. Abração a vc e a todos os amigos acima que têm ajudado a divulgar.

  5. Ueh, não entendi, pq é ruim ser um País socialista? não seria perfeito se todos fossem da mesma classe?

    • Amilton Aquino says:

      Me aponte um único exemplo na história onde isso funcionou e mudo de opinião. No entanto, posso te apontar dezenas de exemplos de países que eram pobres e hoje estão no clube dos ricos rumando justamente na direção contrária pregada pelos bolivarianos.

  6. André Luiz says:

    Como podemos ser todos da mesma classe se as pessoas são diferentes? Um estado socialista inibe também um impulso fundamental do ser humano que é a iniciativa. E não existe exemplo na história, até onde eu sei, de uma sociedade sem classes. O socialismo acaba por criar uma outra forma de hierarquia, os burocratas que mandam no Estado e o resto da população. E por falar em classes sociais, me lembrei agora de uma interesse reportagem da Revista Veja sobre revelações de um ex-segurança de Fidel Castro sobre a vida luxuosa dele:
    http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/cayo-piedra-a-outra-ilha-particular-de-fidel-castro

    • Amilton Aquino says:

      Perfeito, André. Realmente não existe um único caso bem sucedido de alguma experiência socialista.